Arquivo da tag: relacionamento

[Análise do JC]- O amigo dele atrapalha nosso namoro

Como o MDJC continua recebendo, diariamente, diversas situações para analisar, lá vai mais uma antes que os leitores fiquem sem resposta e depois seja tarde demais!

Aliás, o caso de hoje é de uma leitora.

 

“Don! Comecei a namorar há pouco tempo com um rapaz muito legal, mas um amigo dele morre de ciúmes da gente e deu pra implicar comigo agora, tornando as situações super incômodas. Já tentei conversar com o rapaz, mas ele não quer papo e meu namorado também não quer se meter. Não sei direito como lidar com essa situação… Pois estamos há menos de 2 meses juntos, mas esse amizade dele também não tem mais de 3 meses. Você acha que o meu namorado deveria tomar uma posição?” 

O amigo não quer soltar é?

Mas certamente seu namorado já deveria ter tomado uma atitude!

As pessoas nos respeitam até o limite que determinamos.

 

Lembro de um camarada meu…

Certa vez, na balada, estávamos lá curtindo quando conheci essa menina e rolou um lance.

Aí me perdi dele e fomos nos falar só depois de uns dias, quando o sujeito já veio cheio da dor de cotovelo:

Ah Don, pegasse a fulana?? Já fiquei com ela pô (quem te perguntou?)! Altas safada! E nada haver aquela guria. Levei um dia pro motel e ficou só me enrolando… fiz papel de bobo, perdi meu tempo…”

Êta orgulho ferido hein?!

Mas tudo certo, não dei bola para as contradições dele e segui a vida. Ou melhor, segui ficando com ela.

Semanas depois, por acaso, comentei que ia sair com a dita cuja. Foi quando ele questionou, falando alto e com a veia do pescoço saltando:

“O quê???? Tu ainda fica com a fulana??? Tá é maluco cara!!”

Nessa hora fui obrigado a rir e perguntar o por quê.

“Não, não, que isso… altas safada pô!! No verão vi ela e uma amiga com 5 caras lá na praia, depois entraram numa casa e ficaram dando risadas! Acho que as duas deram pra eles! Na verdade, acho até que ela deve ser garota de programa!”

Foi demais pra mim.

Com toda a calma do mundo, mas de forma assertiva, coloquei as cartas na mesa:

Ê, ê, menos… pode baixar o tom de voz aqui na minha casa… quer dizer que ela é garota de programa porque estava curtindo as férias em algum lugar? Cara, para de falar nada com nada! Desde aquele dia na balada tu tá mordidinho pô… melhor cuidar da tua vida e não se meter na minha.”

Depois disso ele se lamentou, dizendo que eu queria discutir por causa de mulher, sei lá do quê, pegou e foi embora. Acabou a amizade ali, se é que existia.

 

O que quero dizer jogadora, é que amigos de verdade querem o bem um do outro.

Se um deles consegue novo emprego, qualquer conquista ou conhece uma garota, ele vai ficar feliz e apoiar. E caso seja contra, vai ficar na dele, pois cada macaco permanece no seu galho.

O resto considero apego, inveja, sentimentos desse naipe.

E respondendo à sua pergunta, demorou pro seu namorado se impor. Saber a hora de curtir com você e depois com o amigo, sem ficar falando de um para o outro. Simples.

Ou mandar o folgado cuidar da vida dele, como fiz no caso acima.

Melhor ainda: apresente o Manual do Jogador Caro pra ele .   😉

 

Abraço do DON

*artigo relacionado: “O que fazer com o cupido carente?”

*comenta aí jogador!


[Análise do JC]- Quanto investir num início de relacionamento

Segue o caso do leitor em itálico, meus comentários em negrito, e ao fim, a conclusão:

 

“Fiquei com uma garota na noite, bonita e bastante tímida, peguei o contato e conversamos por facebook no dia seguinte. Eu tinha achado ela bem legal e tínhamos muitas coisas em comum e por isso convidei para sair no fds seguinte (sexta). 
Ela sugeriu um cinema porque trabalhava no dia seguinte e tudo ocorreu normalmente, foi legal e logo marcamos um segundo dia que acabou sendo um sushi na segunda. Foi tudo certo também, eu dei uma esquentada de leve mas ela freiou e pediu para voltar para casa.
Durante a semana nós trocamos msg (sempre por iniciativa minha) (aí que já pode ter feito errado) e as respostas foram sempre interessadas, marcamos de nos encontrarmos de novo no domingo, mas no sábado quando eu fui perguntar para ela se tava certo para o domingo ela falou que tinha saído na sexta para uma night e tinha ficado com dor de garganta e desmarcou e não falou mais nada, nesse momento percebi uma certa frieza dela. (vocês iam tomar sorvete por acaso? Que desculpa esfarrapada)
 

 

No domingo pelo chat do facebook puxei um papo (no dia seguinte do bolo já foi puxar papo? Falhou) e falei que gostava de sair com ela e queria saber se ela queria continuar saindo comigo ( tentei ser franco e botar de uma maneira mais direta evitando que ela me enrolasse caso quisesse parar), ela falou que também gostava de sair comigo e que não tinha me dado bolo, que ficou mal mesmo. Falei beleza e perguntei se ela queria marcar alguma coisa, ela disse que só poderia no próximo domingo por estar enrolada (detalhe, quem estava sendo enrolado era você, mais do que um macarrão). Durante a semana, por desconfiança de estar dando muita atenção para ela (aleluia!), não falei nada e nem ela. Já na sexta mandei uma msg perguntando se estava confirmado domingo, ela veio falando que estava muito ocupada mas não respondeu a pergunta, ainda assim mais tarde eu perguntei de novo ela disse que faltava muito para o domingo ainda, “vamos ver” disse . Bom daí entendi que ela não queria mais sair, brinquei que ela complicava muito e me despedi. Fiquei sabendo que nesse dia ela tinha saído para a night. (até o Chapolim suspeitou desde o princípio)
 

 

O caso é, meu caro Don, que no início eu não ligava muito (ligava não, mas já nas mensagens…) e depois de sairmos juntos esse desfecho me incomodou. Gostaria de saber de você se devia ter parado de tentar antes, se foi na hora certa ou se não deveria ter parado, que ainda poderia/pode rolar algo. Cabe uma observação que a amiga com quem ela sempre sai tinha acabado de terminar o namoro e queria curtir a solterice com ela, chamando sempre para várias noitadas, repudiando qualquer relacionamento mais fixo. (isso influenciou mas não foi o principal)
Sinta-se a vontade para criticar, seria legal ter a garota de volta, mas meu principal interesse é aprender com os erros, então pode criticar a vontade.
 

 

Valeu pela ajuda e muito sucesso pra você!

 

 

É meu amigo…
o jogo da pegação nunca foi simples como muitos acham que é.

 

Pelo o que percebi, você foi tomando iniciativas em procurá-la depois que ficaram, acreditando que esse é o papel do homem.
Nesse ponto até concordo contigo.
Só achei que depois do segundo contato, no sushi, não precisava ficar mandando mensagens durante a semana. Seu erro começou aí.
Certamente foi com muita sede ao pote, jogador…
Já aconteceu de você estar morrendo de vontade de dar um gole numa garrafinha d’água e pegar com tanta pressa que chegou a derrubar? Então.
Tanto que ela deu o perdido, foi pra balada e – tadinha né – ficou com dor de garganta.

 

Tudo isso porque comunicou pra ela algo do tipo “gostei de você, no momento não tenho interesse em nenhuma outra garota e por mim topo um romance contigo“.

 

Entendo que suas intenções eram boas, mas disso o inferno está cheio.
Para a relação progredir a garota também deve se mexer. E é papel do JC dar espaço para que isso acontece e observar com olhar crítico cada passo dela.

 

 

Em seguida você tentou ser franco, tipo colocar as cartas na mesa para saber qual era a dela.
Essa jogada não há de ser feita meu brother. Pelo menos no início de uma relação que talvez nem vire relação.
Mulheres e pessoas em geral não curtem ser colocadas contra a parede.
E ressalto que é seu dever se ligar na intenção dela.
Na dúvida, vale mais a pena não dar nenhum passo, do que se precipitar.
Naturalmente, após mais uma série de contatos e investidas suas, ela o enrolou bonito e caiu na balada novamente.

 

Da próxima vez, deixa as mensagens como exceção da exceção. Ficar mandando msg direto é coisa de mulher. Prefira por ligar.
Outra coisa, o interesse, a paixão, despertam mais na ausência da pessoa.

 

O importante mesmo é perceber que você se equivocou um pouco na dinâmica pegatória, isso é certo.
Mas saiba que outros motivos podem ter impedido a continuidade da relação, como

 

1- ela está em ritmo de festa e não quer um rolinho agora (lembra da música do Silvio Santos? É ritmo…. é ritmo de festa!!!)
2- ela simplesmente não te curtiu tanto
3- ela é maria-vai-com-as-outras e deixou a amiga impedir o amor entre vocês (o que considero improvável)

 

Vou te falar rapaz… já tive momentos bons com certas garotas e por qualquer motivo, a parada não andou mais pra frente.
Assim como engrenou com outras e resultou em histórias bem legais, de semanas, meses ou até anos.
O jogo é assim e você não pode parar de jogar.

 

Abraço do DON

Análise do JC: A procura do grande amor

“As minhas experiências em relacionamentos não foram boas. Sempre acabaram de uma forma ruim, mas tentei aprender algo com eles. (dificilmente acaba de uma forma legal jogador. Se for por isso que essas experiências não foram boas, repense)
A história resumida é assim:
Meu primeiro namoro foi meio complicado… minha namorada terminou comigo pra ficar com outro, depois terminou com esse outro pra ficar comigo. (muitas mulheres são influenciadas por aquele conto de fadas fortemente exposto em novelas e filmes, onde estão num relacionamento sem graça e chega o príncipe encantado para resgatá-las)
Chegou a um momento que ela preferia ficar no msn conversando com outros do que me ver, quando chegou a esse ponto terminei com ela.
 
Minha segunda namorada me traiu num show com um cara que até então era meu ”amigo”, logo depois terminei o namoro, mas nós sempre dávamos o famoso ”remember”, nos encontrávamos algumas vezes durante a semana e tal… (foi traído e voltou a ficar com ela. Mau negócio)
 
Depois que estava na faculdade me envolvi com uma menina comprometida, após um tempo me apaixonei, oque só me trouxe problemas. Levou um tempo pra esquecer dessa jogadora. (abaixo vou ressaltar os prejuízos de pegar mulher dos outros)
 
No meio deste ano fui viajar com uns amigos para um sítio e lá encontrei uma menina que eu já ficava de vez em quando. Após três dias ficando com ela direto, no último dia ela ficou com o irmão da minha amiga, dona do sítio. (safada será?)
 
Vendo isso percebi que sempre que me apaixonei (tirando o ultimo caso, porque não deu tempo de rolar um sentimento mais forte), no fim das contas deu problema.
Claro que tirei algum aproveitamento, não dou minha confiança logo de cara, aprendi a ver as pessoas pelo que elas fazem e não pelo que dizem, não fico mais com mulher comprometida, entre outras coisas… enfim. Só que acredito que isso me fez ficar meio com pé atrás quanto a relacionamento de longo prazo. 
Eu quero algo mais sério, mas sempre que há a oportunidade meu ego entra em ação e destrói tudo. Nestes casos ainda não consigo controlar o ego. Mas acredito que logo mais, com o que aprendi com o MDJC, poderei resolver.
 
Mas caso haja uma solução para isso me diga por favor.”
E cantava o saudoso Martinho da Vila, ‘já tive mulheres de todas as cores… de várias idades… de muitos amores…’
Nosso camarada teve algumas decepções, isso é certo.
Mas tal fato se chama viver!
Pois o que caracteriza um cara experiente? Ele ter passado por experiências é claro. (boas e ruins)
Não tem como eu dar uma fórmula que te proteja de se surpreender com as mulheres, jogador. Até porque a maioria é piriguete hoje em dia.
O que você pode fazer é ter uma visão mais aguçada sobre a personalidade de cada uma.
Porque se envolver com alguém será sempre uma aventura.
Aos poucos se vai conhecendo as qualidades, os defeitos e o quanto somos importantes para ela.
No filme ‘Alfie’, o cara conhece o sexo feminino detalhadamente.
Uma das várias dicas interessantes que ele dá é ficar atento ao momento Oh-oh.
Tipo se a garota fala alguma coisa inconveniente sobre você na frente de seus amigos por exemplo…
Ou você nota que ela ri de tudo que um cara está falando, fica perto dele, tocando…
Pode ser ao dar uma crise de ciúmes e jogar o seu celular na parede.
São todos indícios de problema.
Não sei de você, mas de mulher-problema eu quero é distância!
E problema mesmo é pegar compromissada.
Tenho a impressão de já ter falado das possíveis hipóteses abaixo, mas lá vai o que acontece:
1-Você pega a garota, ela se apaixona, termina o namoro por sua causa e você não quer nada com ela. Ou até quer e aceita o perigo de ser o próximo corno da vez.
2-Você pega a garota e se apaixona. Mas ela nem liga e continua com o cara.
3-Você pega, ninguém se apaixona mas o cara descobre, podendo te perseguir, agredir ou coisa pior.
E tem a chance remota de ninguém se apegar e o cara não descobrir. Mas acho um jogo arriscado de apostar.
Quanto ao seu ego ficar preocupado se vale a pena investir em mais uma relação, meu brother, curte o momento.
Faça com que seja prazeroso, divertido.
Não se atenha a “poxa to querendo algo sério com alguém”. Concentre-se no presente e no AGORA!!
Seja uma fonte de coisas boas para as mulheres.
Tenho certeza absoluta que quanto mais você ficar no jogo, mais chances terá de encontrar aquela gatinha especial. Enquanto isso, pega mas não se apega!!
Para fechar, citarei o grande Dinho do Mamonas Assassinas:
Não tenho medo do amanhã… até porque ele não me pertence”.
Abraço do DON

Análise do Jogador Caro: Até que ponto vale a pena investir numa relação

Olá rapaziada!!!!!!!!!!!!!!
Quando estamos a conhecer mulheres, a sair com elas, diversos desfechos podem acontecer.
Umas se apegam rapidamente, outras desejam nunca mais nos ver nem pintados de ouro.
Os dois podem curtir se ver, vez que outra… e até mesmo um relacionamento duradouro pode acontecer.
Mas tem aquelas que ficam no meio termo disso tudo, deixando nossa cabeça um tanto quanto confusa.
É este o caso do leitor de hoje, direto de Portugal. Vamos conferir:
“Em Dezembro, numa festa conheci uma rapariga muito atraente. Bem, o tempo passou e nós começamos a conhecermo-nos cada vez melhor e a ficar juntos à tarde, e beijavamo-nos. Tudo era muito bonito!!

Análise do J.C.: “O passado dela me persegue”

Senhoras e senhores,

a caso de hoje é o de muitos tantos outros que existem pelo mundo afora.

Fala sobre o nosso apego ao passado… a nossa curiosidade superficial e nosso instinto de julgamento… sobre orgulho e mania de comparação. É mesmo um exemplo importante.

Vejamos agora o que o leitor partilhou conosco (seguem meus comentários em negrito).

“Amigo Don Thiago, hoje sou eu, Raposo, que venho lhe pedir conselhos afetivos e espero não o incomodar com isso, meu caro (o blog é feito para vocês leitores, fico contente quando me mandam seus casos e tenho chances de ajudar). Por que escolhi você? Por que você é o único que tem colhões de me dizer que errei e fiz merda.

(mandou bem meu caro, porque aqui no Manual do Jogador Caro a conversa não faz curvas!)

Como sabe, estou namorando já vai fazer 4 meses. No começo, cara, foi legal, porque eu estava firme e forte na minha jornada PUA e no controle da situação.

Mas, no entanto, com o tempo, o aumento do grau de envolvimento afetivo foi inevitável e tanto eu quanto ela nos apaixonamos.(essa é a meta)

Ela tomou comigo uma atitude que, segundo ela, foi na melhor das intenções de ser sincera e transparente, mas que não sei por quê, exerceu impacto sobre mim e desestabilizou minha autoconfiança: me falou sobre o passado sexual dela. Com quem ficou, quantos ficou, o que fez, onde fez. Ela queria que eu soubesse o que ela fez no passado para que eu soubesse com quem estava convivendo e jamais viesse a saber algo pela boca de outra pessoa. (foi aí que você errou. Quem vive de passado é museu cara… deveria ter dito “olha, melhor pararmos por aqui… sei bem quem você é, te conheço mais a cada dia e estou adorando! O que você fez e com quem fez, fica para trás, e comigo a mesma coisa”)

Isso, no entanto, me deixou cabreiro. Comecei a ficar inseguro, e na hora do sexo comecei a negar fogo com certa frequência. (claro, seu orgulho ficou ferido e seu Ego começou a pensar várias coisas)

Dois meses após essa revelação, tivemos uma pequena discussão e o que estava entalado saiu, falei a ela que não sentia firmeza alguma nela pelo passado onde ela foi uma pessoa completamente desapegada e interessada tão somente na satisfação de suas necessidades pessoais. Eu sei que o que fiz foi infeliz e estúpido, pois ela chorou, chorou e eu, por me tocar do mal que a fiz, também chorei. (mais uma vez seu EGO – leia-se por instinto de sobrevivência- se mostrou abalado por não ter a pessoa pura e perfeita ao seu lado)

Mas, resolvemo-nos e tocamos a vida para frente.

Ela é mais rica que eu. Bem mais rica. Fomos semana passada a uma livraria e ela simplesmente gastou quase R$1000,00 em livros, à vista. E eu não sei porque, talvez por ser trabalhador, talvez por ser uma pessoa que tem tudo tão difícil e suado, me senti ofendido com o gesto dela, novamente fui infeliz e disse a ela que ela exagerava no consumismo dela. E isso a magoou.(orgulho + inveja + julgamento= complexo de inferioridade. Não fique se comparando a ninguém dessa forma cara… cada um dança conforme a música de sua vida, somos livres para fazer o que bem entendermos. Ainda mais em questão de dinheiro… ou você, no lugar dela, gostaria de um dia ser o finado mais rico do cemitério?)

Mas, novamente, nos resolvemos e tocamos para frente.

Passamos um final de semana razoável juntos, na segunda-feira ela foi para casa e eu, não sei porque, senti uma depressão tão grande que fui parar na minha médica e ela me disse que eu estava guardando um imenso sentimento de culpa, pois os dois “surtos” que dei passaram a fazer com que ela omitisse de mim as coisas da vida dela e a fazer compras escondido de mim para me “poupar” de uma mágoa.(poupar seu ego ferido no caso)

Conversei com ela pelo telefone ontem, pedi desculpas por esses dois surtos e disse que não queria que ela mudasse quem era e me omitisse as coisas para não me magoar. Ela não entendeu muito bem qual foi a minha, já que estávamos bem, e de lá mudou o tratamento, suas mensagens não mais são carinhosas, é seca ao telefone e quando disse “te amo”, ela só respondeu “eu sei”. (que mal educada.. poderia ter respondido como Charlie Harper pelo menos, “Obrigado”  =)  )

Eu estou ciente de que fiz merda e estou colhendo o que plantei. (admitir é o passo mais difícil, parabéns)

Eu a amo, e tenho certeza disso. Ela me completa em quase tudo na vida. E ela nunca fez nada de ruim comigo, sempre fez por onde ser uma ótima namorada. (aqui você percebe que apenas o AGORA e o passado recente é que importam)

Eu sei que sou capaz de seguir em frente se terminarmos, eu sou a prova viva da superação, mas isso não significa que eu ficaria indiferente se a perdesse.

A questão, meu amigo, é… Será que ainda vale a pena lutar? Porque a sensação que tenho é de que queimei o filme com ela. De que independente do que fala, já mudei a percepção que ela tem de mim e que eu estaria sendo teimoso. Mas, posso estar errado e deixando as emoções negativas tomarem conta de mim.

Se puder me dar uma luz, eu agradeço!

Adalberto Raposo

 __________________________________________________

É meu caro Raposão…. você fez mesmo uma lambança hein?

Tudo ia lindo e maravilhoso quando, numa noite qualquer, sua namorada teve um surto de sinceridade e quis revelar coisas insignificantes sobre a vida dela.

Sabe rapaz, dizem que devemos levar em conta mais as INTENÇÕES das pessoas do que as ações em si. E a intenção dela era das melhores… era um voto de confiança que ela estava te dando.

Ou quem sabe não. Quem sabe ela agiu por medo, como ela mesma admitiu, do que você poderia saber sobre suas antigas aventuras amorosas da boca de terceiros. Isso foi uma atitude do EGO dela na verdade, medo de como ficaria a imagem na sua cabeça. Aliás, no caso de alguém vir a falar de sua namorada, você deve agradecê-lo na mesma hora por “querer se meter onde não foi chamado” e mandar ele cuidar da vida dele.

Mesmo assim, você que é o homem da relação, o Jogador Caro!

Você quem deveria ter cortado o papo e dito o quanto aquilo era insignificante para você e que não tinha a mínima curiosidade sobre o passado sexual dela.

Agora, sem mais sermão!

Costumo dizer às pessoas que, a partir do momento em que temos que “lutar” por alguém, já perdemos. Mas no seu caso vou abrir uma exceção.

Antes de tudo, você deve parar de ser guiado pelo seu EGO meu amigo.

Ele é um mecanismo mental de sobrevivência individual que todos temos nas nossas cabecinhas. Ele está sempre comparando as coisas logicamente, sempre achando que tudo é uma ameaça à nossa integridade física ou mental. Foi por causa dele que você sentiu-se ofendido com as revelações dela… foi por causa dele que você sentiu-se inferior diante das compras dela…

Pare um pouco de ouvir essa criança carente dentro de você cara!!!! Seja mais do que isso!

Na vida amorosa, o papel do homem é fazer a mulher FELIZ. Simples assim.

Sem comparações, julgamentos ou disputas morais.

Apenas trazer felicidade à vida dela. Dando um pouco de atenção, carinho, sexo, risadas e surpresas. Conduzindo a relação sutilmente e ativamente.

Diga a ela que se ligou dessas coisas sobre o seu EGO agora.

Diga que percebeu que todo o passado dela foram apenas degraus de uma escada que a levou a chegar até você parceiro!!!!

Que talvez, se tivesse sido diferente, vocês não teriam se conhecido ou tido um namoro maravilhoso!

E que tudo que quer ver é ela feliz e alegre! Pois assim você também fica feliz e alegre.

Faça surpresas rapaz… seja espontâneo… agora é a hora de você jogar bonito como ninguém jamais jogou com ela!

Te desejo toda a sorte e saiba que se for para dar certo, vai dar.

Obrigado por ter me procurado,

Abraço do DON