[vídeo] Tony Montana, Jogador Caro – parte 1

Se você ainda não assistiu ao filme Scarface, vai correndo atrás jogador, porque é tiro certo!

O personagem interpretado pelo mestre Al Pacino, o cubano Tony Montana, dá um show de diversas formas.

Comete muitos erros, isso é verdade.

Mas seus acertos ficaram marcados pra sempre no universo do cinema mundial.

E o MDJC analisa a partir de hoje alguns deles.

Confira a parte 1 sobre o jogo de sedução do cabrón e veja como pode usar alguma coisa no seu próprio jogo.

É quente ou não é?

 

Espere então para ver o restante.

Manual do Jogador Caro, alguns tentam copiar, mas NUNCA SERÃO!!!

 

Abraço do DON


Análise do candidato no programa “Vai dar namoro”

Este programa da tv Record é divertido.

Rodrigo Faro apresenta candidatos a conhecer garotas e quem sabe rolar um lance.

Então o sujeito fala sobre si e talvez alguma delas conceda uns minutos de conversa ao galanteador.

De vez enquando até dá liga…

Só que a maioria deles manda MUITO mal.

Confira um exemplo:

Começa que a produção manda o sujeito entrar correndo, sei lá, pra botar uma energia talvez.

Só que é péssimo.

No lugar dele eu diria que dispensava isso.

Caso eles insistissem, chegava na hora e entrava andando no meu estilo e deu.

Em seguida, outra situação complicada: começar a dançar como um gogo-boy (striper masculino).

Pra quê se expor ao ridículo assim?

Pra quebrar algum gelo?

Jogador Caro não precisa disso. No máximo, evitando dar uma de estraga-prazeres ao lado do apresentador dançarino, eu faria alguns movimentos, mas bem reservados.

Já no início da conversa, “fulano, quantos anos você tem? E faz o que da vida?”

Aí meu amigo… se você não tem uma profissão que desperta a curiosidade ou traz certo status, é hora de ser criativo. Pois Rodrigo Faro não perguntou exatamente no que ele trabalhava, e sim, o que fazia da vida.

Aproveito cada momento da vida Faro… valorizo quem está do meu lado, gosto de dar umas risadas, surpreender… e nas horas vagas, trabalho como técnico de informática“(ex.)

Digo isso porque mulheres querem caras diferentes. Conhecer o sexo oposto passa longe de ser uma entrevista de emprego.

Principalmente pelo fato de a primeira impressão ser a que fica. Temos poucos segundos e minutos para instigar o interesse numa investida.

Mas o problema é que Jorge Daniel não conhece o MDJC.

Tanto que ao ser perguntado se está namorando muito e a quanto tempo rola a solidão, tadinho… ele coçou a cabeça, fez uma cara de cão sem dono, totalmente carente, e pediu para mudar de assunto! Para melhorar, passou a data de 2 anos sem estar com uma mulher.

Aí não né tio!!!!

Pára com isso na boa!!

Independente se estivesse encalhado ou não, eis o que eu certamente falaria:

Quanto tempo exatamente eu não namoro não faz diferença… já diz a música, solteiro sim, sozinho nunca! (aí provavelmente o Faro ia fazer um auê, tocar música, etc.. então eu pediria para falar mais)

Namorar é um compromisso sério para mim. E não adianta a garota ter um rostinho bonito, um corpão, ou até um beijo bom. Eu tenho que realmente me envolver para assumir esse compromisso. Aliás, não estou aqui para arrumar uma namorada. Estou aqui para conhecer alguém, ver o que rola, um romance talvez… O que importa é o agora, o amanhã vai ser apenas consequência”.

É nocaute jogadoooorrrrr!!!

Valorize seu passe! Ou quem valorizará?

Pode perceber que o carinha até demonstra ser gente fina e tal.

Mas só isso não basta para ser desejado.

A confiança misturada com a paz é o que pode causar atração.

 

Abraço do DON

*comenta aí Jogador!!


Novo parceiro: Atitudes Masculinas

Quem acompanha o MDJC sabe que temos orgulho em apresentar materiais de diversas fontes.

Pode ser um vídeo, um texto, tanto faz. Basta ter qualidade que tentamos conceder espaço.

E um blog que faço questão de recomendar todos os dias de agora em diante é o Atitudes Masculinas, de Douglas Vlorenz!

Dá pra perceber que o lance é quente só pelos Jogadores Caros do banner, diz aí?

Se você está cansado de ter sua energia masculina reprimida pelos deturpados rumos que a sociedade vem traçando de tempos para cá, tá aí um material que vai contra essa corrente.

 

Ui, só podia ser coisa de homem…” algumas dondocas falam. E eu respondo: é mesmo. E Homem, com H maiúsculo. Só o que faltava eu ter vergonha de ser um!

Sabe o que acontece jogador? Elas não tinham direitos básicos no passado, o que era uma puta injustiça.

Mas nem por isso precisavam tentar se igualar a nós em praticamente tudo.

Por isso começaram a ter atitudes de essência masculina, enquanto os homens são forçados a serem femininos.

 

Ou vai me dizer que um vampiro charmoso é masculino?

Um sertanejinho com cabelo de emo e voz fina?

Jogador era o Tom Cruise em Top Gun!

Marlon Brando em Um bonde chamado desejo!!

Mickey Rourke, 9 semanas e meia de amor!

 

Cuidado meu amigo, com o que a mídia e a sociedade em geral tentam pôr na sua cabeça.

Ciúmes exagerados? Medo de puxar assunto? Ser passivo? Carente? Emotivo demais? Reativo?

Sinto lhe dizer, são todas qualidades mais femininas do que masculinas e é melhor prestar atenção nisso.

 

Doutrinas espirituais explicam esse fênomeno da falta de equilíbrio entre o yin e yang.

Que começou da forma que falei, no passado, quando o homem fez mau uso de sua força e raciocínio lógico menosprezando as mulheres.

Depois, elas exageraram na busca por justiça e – movidas pela sua natureza emocional – quiseram ocupar todas as áreas masculinas, cheias de râncor e feminismo.

Porém, agora está sendo manifestada uma nova safra de homens que resgatam toda a essência masculina ao mesmo tempo em que respeitam o valor das mulheres (diferente dos antepassados).

É nessa pegada que a chamada guerra dos sexos vai chegar ao fim.

Todos saberão por instinto quais energias devem produzir e cada vez mais as pessoas se atrairão com facilidade.

 

Esse é um dos focos do Manual do Jogador Caro, e se você procura conhecer melhor esse seu lado, saiba que temos mais uma fonte de aprendizado: o Atitudes Masculinas.

 

Abraço do DON

 

*pra quem quiser ler um artigo porrada sobre as diferenças da energia masculina e feminina, ele é espiritual, mas independente de sua crença, verá que faz sentido: http://www.jeshua.net/por/healing/healing5por.htm 

 

 

 

 

 

 

 

 


Parábola: Coragem

Diz uma antiga parábola que um camundongo vivia angustiado com medo do gato.


Um mágico teve pena dele e o transformou em gato.

Mas aí ele ficou com medo do cão, por isso o mágico o transformou em pantera.

Então ele começou a temer os caçadores.

A essa altura, o mágico desistiu. Transformou-o em camundongo novamente e disse:
– Nada que eu faça por você vai ajudá-lo, porque você tem apenas a coragem de um camundongo. É preciso coragem para romper com o projeto que nos é imposto. Mas saiba que coragem não é a ausência do medo, é sim a capacidade de avançar, apesar do medo; caminhar para frente; e enfrentar as adversidades, vencendo os medos…

É isto que devemos fazer. Não podemos nos derrotar, nos entregar por causa dos medos.

Senão, jamais chegaremos aos lugares que tanto almejamos…

 

Abraço do DON


Perfil de um JC: Vanio Coelho

Muitos têm o costume de enaltecer o que está longe ou que vem de fora.

Como o famoso ditado:  “o quintal do vizinho sempre é mais florido”.

Uma pessoa famosa… um produto… tanto faz. O belo encontra-se sempre distante.

Mas que tal valorizar aquilo que está próximo de nós também?

Seguindo essa linha de raciocínio, neste dia dos pais apresento ao leitor do Manual, um Jogador Caro faixa preta: meu pai, Vanio Coelho!

Com apenas 17 anos já dirigia um jornal para jovens chamado O LÍDER (honrando desde cedo o adjetivo Jogador Caro).

Saiu de Tubarão para ganhar a vida nessa área – jornalismo – tendo trabalhado em diversas rádios, jornais, revistas, empresas, também dando aulas e palestras em universidades.

Rapaz… uma coisa é certa, o homem escreve bem.

Provavelmente pelo saudável hábito de ler seus livros e notícias diárias.

 

Lembro de quando era criança e ele me trazia enciclopédias sobre dinossauros, animais, essas coisas. Aprendia muito com aquilo, curtia de verdade.

E me surpreende o fato de eu ter passado muitos anos sem folhar qualquer obra e nunca ser cobrado por isso, sendo que muitos pais tentam impor certas atividades aos filhos.

Mesmo assim, sofria forte influência lendo seus artigos publicados todo domingo na coluna do Cacau Menezes no Diário Catarinense, o principal jornal aqui de Floripa (e do Estado).

Tanto que desde moleque uma das matérias que eu mais curtia na escola era redação.

 

Outra habilidade que desenvolvi de olho no Sr. Vanio foi o senso crítico.

Quando saímos por aí tendo experiências ou lendo histórias e conhecendo diferentes pontos de vista, é como se nossa visão sofresse um poder de alcance bem maior do que o normal. O verdadeiro exercício da inteligência está aí.

Por exemplo: observo-o dando risadas de algumas entrevistas na tv. Tipo o sujeito faz um discurso todo bonitinho, aí ele fala “ahhhh mas aquilo que você fez ano passado trabalhando na empresa X isso você não fala né HAHA hipócrita!!!“.

Isso é típico de quem tem personalidade. Criar opiniões através de conhecimento e princípios.

E foi isso que percebi nele quando cursava o terceiro ano do ensino médio.

 

Estava passando por dificuldade de aprendizado e o medo de repetir de ano me assombrava. Principalmente quando via vários colegas saindo da escola e indo fazer supletivo para fugir daquela situação.

Foi quando falei dessa ideia para ele que ouvi em alto e bom som: “O quê? Nada disso! Você não é um derrotado. Vai estudar e vai passar!!!”.

Se o leitor aí fez supletivo, não me leve a mal. Muitos vão por esse lado pela necessidade, dado o atraso que já tiveram em se formar, etc…

Mas não era o meu caso.

Eu estava jogando a toalha ainda no primeiro tempo do jogo e graças a esse Jogador Caro confiei no objetivo e fui aprovado.

 

Sabe o poderoso chefão, Don Corleone? Lembra que ele tinha um filho que era seu conselheiro?

Aqui é o contrário.

Se eu sou o Don Conejo, meu pai é o fiel consigliere.

Sempre dando sugestões de ouro ao Manual… hoje mesmo ele deu uma, mas é segredo!

Fora as saídas que ele me passa diante diversos obstáculos que surgem em meu caminho, ou as grandes verdades em poucas palavras.

Como na vez em que me viu sofrendo por uma garota, digamos na elegância, piriguete.

Quando me viu chateado, simplesmente parou na porta do quarto e proferiu as sábias palavras:

Meu filho… aquela garota é igual à espeto corrido. Todo mundo come!”

Naquele momento falei para ele não comentar sobre o que não sabia. Pior que o tempo confirmou tal afirmação.

 

Não que ele venha todo dia perguntar como estão as coisas…

E isso foi outra lição que me ensinou indiretamente.

Se você quer algo… vai atrás garoto!

Não fique esperando aquela pessoa vir a você ou tal situação acontecer. ATITUDE!

Até porque, costumamos cobrar dos outros, mas e nós? Você costuma perguntar como seu pai e sua mãe estão? Seus amigos? Dizem que é dando que se recebe.

Só sei que me sinto sortudo e agradecido por ter um pai que cada vez que procuro para conversar, pára tudo que está fazendo, me ouve com atenção e procura dar o melhor feedback possível.

Sem contar as vezes que ensina através de seu comportamento.

 

Tipo durante uma festa de família, quando um parente distante veio e bateu com o dedo na minha cara me mandando ficar ligado porque “supostamente”  eu havia mandado beijo para sua namorada. Em seguida fui empurrado pelo irmão dele de sei lá, 60 anos. Se fosse verdade eu até ia entender. Mas ser acusado de algo que não fiz, dessa maneira… ihhh filhote… foi revoltante. Ainda mais quando eram caras barbados e eu tinha meus 17 anos, por aí.

Rolou a maior confusão. Primas puxando o cara pela camisa, tias berrando, enquanto saí de fininho e fui lá atrás da casa, na churrasqueira, onde estavam tios e primos, e contei para meu pai sobre o ocorrido.

O que fez então?

Mandou eu sentar ao seu lado e ficou observando de longe, pensativo.

Naquele momento não entendi qual foi a ele. Mas hoje imagino o que se passava em sua mente. “Vou lá? Pra quê? Piorar a situação? Dar uma de macho? Precisa disso? Acho que não.”

Foi uma das atitudes mais sábias que já o vi tomar.

 

Não digo que ele é perfeito. Aliás, quem é?

Mas pelas razões que citei acima, por tudo que me ensinou até hoje, por apoiar o Manual do Jogador Caro, por entender e incentivar minha paixão pelo surf, por seus churrascos de sempre, por ouvir música alta, por me passar o incrível hobbie de assistir a filmes desde criança, por me mostrar que as qualidades importam mais que os defeitos, por sua confiança mesmo diante das situações mais difíceis,

Vanio Coelho é para mim o maior de todos os Jogadores Caros!!

Abraço do seu filho,

Thiago (Don Conejo)

*mãe, não fica com ciúmes… te amo tá?!


Análise do JC: A difícil arte de ser seletivo

“No dia a dia em relação às abordagens, ou quando sei que deveria fazer algo desprendido de resultados… vem o pensamento de que é muito esforço pra pouco resultado (Muito diálogo, tempo gasto investindo na pré – suposta, quando no fim das contas a garota nem é lá isso tudo, pois ultimamente só ando encontrando essas bem mais ou menos)… (então você ouviu falar sobre se desprender dos resultados, mas ainda não vive essa verdade, pois acha esforço conhecer mulheres. Já essas “bem mais ou menos” são apenas garotas que não lhe atraem em outros níveis fora o físico. E realmente, quanto mais seletivos somos, mais difícil de encontrar aquela que fecha conosco)

Tá complicado “amar” essas minas… As que são tranquilas faltam personalidade, as que tem personalidade e senso de humor, são drogadas, dadas, materialistas cheias de “esquemas”. Logo penso que não vou me sujeitar… Sou muito mais que isso (acho que ninguém é mais do que ninguém jogador. Você é apenas diferente dessas e não está atraído fortemente por nenhuma garota, faz parte).. mereço algo melhor… no entanto esse algo melhor ainda é utopia… nao to afim de conquistar por conquistar só pra ter mais um número ou uma a mais no meu pé.. inclusive me livrei de boa parte…

Enquanto ao ego, noto em mim ele atuando e tentando se manifestar (boa parte das vezes consegue) e nos outros também, atitudes egocêntricas. E em relação a desconhecidas… várias muito bonitas o dia todo, porém acho que entrei meio que num processo de generalização e nem ando animado pra jogar.. to ligado que é uma fase… mas realmente a beleza não me impressionar mais… vi uma frase que disse ” SE VC FOSSE CEGO, QUAL SERIA A GAROTA IDEAL E POR QUE? ” Eu ja tinha pensado sobre isso.. e vendo a frase, venho refletido isso a muito tempo… enfim… Tens algo a me dizer?”

 

Uma atividade que me ensina muita, mas muita coisa mesmo, é surfar.

Por ser um esporte que depende da natureza, nunca sabemos ao certo se as ondas estarão boas.

Tem dia que o vento é fraco (perfeito) mas a ondulação, muito baixa;

Quando está bombando de onda, o vento fica forte e prejudica a formação delas;

Incrível mesmo é ver através dos boletins de surf na internet, fotos da praia, um dia clássico, aí você faz tudo correndo pois tem certeza que realmente vai valer a pena, e ao chegar lá…. PUF! A maré encheu demais e ferrou com tudo.

Na maioria das vezes ficamos frustrados.

Só que mesmo assim se continua acreditando… chamando os amigos, indo mais uma vez em busca das rampas d’água, até que de repente, justo naquela tarde que você nem tinha tanta pretensão, acaba encontrando a harmonia completa e um dia alucinante de surf que talvez seja lembrado após muitos anos.

Deu pra captar a mensagem?

 

Nosso amigo (que conhece muito os conceitos do MDJC) está desanimado com as opções que vem encontrando.

Realmente, quando damos valor à personalidade da garota, o jeito, humor, sensualidade, enfim… essas características tornam-se imprescindíveis para despertar o interesse do Jogador.

Por isso demora até encontrar.

O ideal é não se identificar muito com essa fase… idealizar, dar significado, como ele está fazendo…

Vai levando sua vida bilie joe!!

Não existe isso de “esforço” para interagir. Você simplesmente abre a boca, da um sorriso ou faz um comentário sempre que ver a oportunidade em sua frente. Desenrola a ideia talvez. E se rolar, pega pra ver qual é!

Quanto mais estiver aberto, mais chances de ela aparecer.

Para finalizar, duas frases de sabedoria:

“Enquanto não se acha a certa, diverte-se com as erradas”

“Se não existe a possibilidade de fracasso, a vitória é insignificante”

 

Agora me dá licença que vou surfar porque a noite tem que dar o curso MDJC que está bombando!

Abraço do DON

 


Perfil de um jogador barato

Com certeza é sempre bom aprender com o sucesso dos outros.

Podemos analisar suas qualidades, a forma que os levaram a atingir objetivos, os pensamentos deles…

E existe uma maneira diferente de obter conhecimento: observando os erros alheios.

Por isso, hoje apresento no MDJC o personagem George, interpretado por Paul Rudd no filme “Como você sabe (2010)”.

Perceba que este artigo é uma exceção, pois não seria justo analisar personalidades de forma crítica e julgando suas falhas publicamente.

Mas como se trata de cinema… vamos lá!

 

George até que é gente fina. Atencioso, humorado, cheio de boas intenções.

Não sei exatamente qual foi a mensagem do diretor do filme com esse personagem.

Talvez pelo fato de estar sendo indiciado pela Receita Federal graças a um golpe que seu pai deu (Jack Nicholson), ele fica num estado nervoso, ansioso, algo assim.

Então ele conhece Lisa Jorgenson (Reese Witherspoon), ex-jogadora de softball que namora um sujeito, digamos, mais solto com a mulherada. E quer roubá-la dele.

Sabe o cara que tenta o tempo inteiro agradar? Responde com pressa… fala uma coisa e quando a garota discorda ele já muda de opinião na mesma hora… faz favores correndo… tudo para receber o interesse feminino em troca? Esse é o style desse nosso amigo.

 

A loirinha é uma chata, fato.

Só que ela vai abusando justamente porque George não coloca limites.

Quando ela tomar alguma atitude que você recrimina, pode falar jogador!! DEVE falar.

Todo mal se corta pela raíz.

Muitos caras estão num relacionamento sufocante justamente porque deixaram uma bola de neve ficar gigante.

 

Outro ponto que quero ressaltar é a atenção exagerada que ele dá.

Se você está ali, num primeiro momento, com uma mina que te atrai, entenda uma coisa: ou se tem vontade de agarrar ou não. Portanto, aja de acordo!

Ficar ali escutando os problemas dela pra sempre e conversar apenas sobre coisas bonitinhas não vai levar a nada.

Aliás, vai sim. Uma amizade apenas.

Confira esse trecho do filme:

Chega a ser bizarro.

George tenta ser o mais legal possível e de repente, do nada, liga o namorado de Lisa pedindo desculpas por terem brigado e tal, a chama para sua casa, e ela vai.

E George faz cara de cão sem dono até leva-la ao táxi.

 

Meu amigo!!! Carência não é uma qualidade atraente!!

Você deixa de demonstrar interesse durante, sei lá, 30 minutos, 1 hora ou mais. Aí na hora em que ela está indo embora, tenta dar o xeque-mate desesperadamente. Mas seu peão não andou nem 1 quadrado no tabuleiro, como quer pegar a rainha desse jeito meu jovem?

Demonstrar interesse e elevar a interação é uma arte (que por ventura tratamos no curso MDJC 😉 ).

Arte essa que George nunca ouviu falar.

 

O desenrolar do filme vou deixar de lado, mesmo porque não faz sentido. Está na categoria dos filmes moderninhos com personagens sem energia masculina, ao contrário do tipo Marlon Brando, Tom Cruise, Mickey Rourke, Charlie Sheen e demais atores caros.

Mas fica a dica para você conferir as graves falhas do cidadão e evitar fazer o mesmo.

 

Abraço do DON

 

 


Mais importante que o desejo é o comprometimento com a mudança

*ótimo texto do psiquiatra, escritor e conferencista Roberto Shinyashiki, que condiz com muita coisa falada aqui no blog

 

Complicamos as mudanças, pensando que elas vão acontecer somente porque são desejadas. Isso nem sempre é verdadeiro e raramente dá certo.

Mais importante que o desejo é o comprometimento com a mudança.

 

Outra maneira eficiente de complicar as mudanças é pensar em demasia no que os outros vão sentir ou pensar em razão da sua transformação.

É ingenuidade supor que todo mundo se sentirá bem com a nossa mudança. É lógico que algumas pessoas vão comemorar o nosso bem-estar, mas pode ser que outras se sintam ameaçadas.

Outra modo de complicar a mudança é achar que ela vai acontecer espontânea e instantaneamente. Muitas vezes, para mudar, é importante lutar contra os nossos hábitos. Por exemplo, a mudança de alguém que costuma explodir, briga com todo mundo que ama e, quando se percebe solitário, corre para recuperar as amizades, só vai acontecer depois que aprender a lutar contra seu hábito de “explodir” por qualquer coisa.

Portanto, a disciplina é fundamental para qualquer processo de mudança.

Todos os seres humanos nascem plenos de seus potenciais, como “príncipes felizes”. Depois começam a escutar os nãos (a maioria deles sem motivos reais) e a se rebelar contra a repressão, tornando-se “príncipes infelizes”. Após tanto lutar contra esse sistema, acabam desistindo e tornando-se “sapos cômodos”.

A maior parte das pessoas passa muito tempo da vida como sapo cômodo e, quando descobre isso, quer voltar a ser príncipe feliz. Porém, faz parte do processo voltar a ser príncipe infeliz antes de ser príncipe feliz.

 

Geralmente, um sapo cômodo é uma pessoa que procura manipular os outros para conseguir o que quer e os responsabiliza pelos seus problemas. Sente-se sempre perseguido e, portanto, imagina-se vítima do mundo. É, na verdade, uma marionete e pensa que pode controlar a todos. Obedece a ordens internas ou externas, sem saber quais são suas reais necessidades. Aceita situações que sabe que lhe são tóxicas, porque não tem opção (não sabe respeitar a si e aos outros). Repete dia após dia os mesmos atos do seu roteiro, porque não vê que tem opções para mudar. Vive dentro de um sistema de mesquinhez de carícias. Procura somente carícias condicionais.

 

Um dia, o sapo cômodo percebe que vive eternamente se adaptando e descobre que sua vida não o satisfaz; contudo, raramente sabe como conseguir o novo estilo de vida que quer. Descobre que o presente não o satisfaz, que o passado foi um desperdício de vida, mas não sabe ainda como estruturar-se no aqui-agora. Não consegue mais comer o pão embolorado, mas não sabe ainda como conseguir a fruta saborosa que deseja.

 

Nesse momento vem o vazio existencial, às vezes o desespero, o medo de não conseguir mudar, o medo de tirar as máscaras e encontrar-se consigo mesmo, o medo de perder as pessoas que lhe são caras, o medo de ter de voltar a repetir as condutas de sempre, a sensação de inadequação, de não estar fazendo bem o novo, como fazia o antigo.

Passar pela etapa de príncipe infeliz antes é muito importante no processo de crescimento! Não saber ainda como fazer o desejado, mas estar insatisfeito com a maneira antiga é um ponto crucial do processo.

É importante sentir que as carícias podem ser trocadas. Há um mundo infinito de possibilidades para realizar-se, até que a pessoa consiga ser um príncipe feliz e dê e receba as carícias que deseja, tenha as pessoas à sua volta como quer, estruture sua vida para realizar-se, se torne espontânea, feliz, satisfeita.

 

É importante ter a consciência de que você vai passar pela fase anterior, senão pode ter surpresas: na fase de príncipe infeliz, não vai receber a quantidade de carícias que recebia quando era sapo cômodo.

Certo, não eram as carícias que queria receber, mas sejam quais forem, as carícias sempre alimentam.

É fundamental predispor-se a não continuar usando os disfarces antigos, as mesmas manipulações de sempre, os mesmos jogos. Saia para um contato autêntico e espontâneo com as pessoas para viver plenamente e com autonomia sua própria vida.

 

Abraço do DON


[Promoção] Participe do novo vídeo do MDJC

Alô firma!!!!!!!

 

Se liga que hoje é só notícia boa para começar a semana.

Começo passando um aviso aos navegantes:

Finalmente foi criado o grupo ‘Manual do Jogador Caro‘ no facebook!!

aúúúúúúú!!!!!!

É isso aí, pode uivar igual ao Denzel!

 

Lá você traz dúvidas para a galera dar um feedback, propõe temas de artigos ao blog, dá sugestões de qualquer natureza, enfim… contribui e participa mais ativamente do estilo de vida Jogador Caro.

Esse grupo foi criado levando em conta que muita gente já VIVE segundo os conceitos do Manual. E como eu sempre afirmo, o Manual é único, é original, são diversas fontes de conhecimento, é tudo de bom! Um ideal que busco e quanto mais pessoas buscarem junto, mais poderoso se torna.

Pode adicionar aí e chamar seus camaradas, sangue bom!

 

O outro aviso é que o novo blog está quase quase no ar e a primeira postagem será um VÍDEO explicando a todos os desinformados o que significa ser um JOGADOR CARO.

Já foram gravados diversos depoimentos da galera aqui de Floripa (lugar onde nasceu o termo) respondendo à pergunta.

Que tal fazer parte deste vídeo especial, editado com cortes rápidos, sonzera de fundo, naquele style??

Como podemos constatar lá no grupo do facebook, a rapaziada está dando conceitos fantásticos!

Então não perde tempo!! Faz uma filmagem com resolução boa no seu celular mesmo ou no iphone de alguém e envia para o http://www.4shared.com, meu e-mail (omanualdojogadorcaro@gmail.com) ou qualquer forma que achar conveniente, contando o que você entende por ser um Jogador Caro.

E tem mais: além de se apresentar ao lado de diversos jogadores (o que é sempre satisfatório), quem participar GANHA ADESIVOS DO MDJC EM SUA CASA!!

É isso aí mesmo meu caro!

Tudo isso porque somos uma equipe e o valor dela é inestimável.

 

Abraço do DON

 

 

 


Análise do JC: A procura do grande amor

“As minhas experiências em relacionamentos não foram boas. Sempre acabaram de uma forma ruim, mas tentei aprender algo com eles. (dificilmente acaba de uma forma legal jogador. Se for por isso que essas experiências não foram boas, repense)
A história resumida é assim:
Meu primeiro namoro foi meio complicado… minha namorada terminou comigo pra ficar com outro, depois terminou com esse outro pra ficar comigo. (muitas mulheres são influenciadas por aquele conto de fadas fortemente exposto em novelas e filmes, onde estão num relacionamento sem graça e chega o príncipe encantado para resgatá-las)
Chegou a um momento que ela preferia ficar no msn conversando com outros do que me ver, quando chegou a esse ponto terminei com ela.
 
Minha segunda namorada me traiu num show com um cara que até então era meu ”amigo”, logo depois terminei o namoro, mas nós sempre dávamos o famoso ”remember”, nos encontrávamos algumas vezes durante a semana e tal… (foi traído e voltou a ficar com ela. Mau negócio)
 
Depois que estava na faculdade me envolvi com uma menina comprometida, após um tempo me apaixonei, oque só me trouxe problemas. Levou um tempo pra esquecer dessa jogadora. (abaixo vou ressaltar os prejuízos de pegar mulher dos outros)
 
No meio deste ano fui viajar com uns amigos para um sítio e lá encontrei uma menina que eu já ficava de vez em quando. Após três dias ficando com ela direto, no último dia ela ficou com o irmão da minha amiga, dona do sítio. (safada será?)
 
Vendo isso percebi que sempre que me apaixonei (tirando o ultimo caso, porque não deu tempo de rolar um sentimento mais forte), no fim das contas deu problema.
Claro que tirei algum aproveitamento, não dou minha confiança logo de cara, aprendi a ver as pessoas pelo que elas fazem e não pelo que dizem, não fico mais com mulher comprometida, entre outras coisas… enfim. Só que acredito que isso me fez ficar meio com pé atrás quanto a relacionamento de longo prazo. 
Eu quero algo mais sério, mas sempre que há a oportunidade meu ego entra em ação e destrói tudo. Nestes casos ainda não consigo controlar o ego. Mas acredito que logo mais, com o que aprendi com o MDJC, poderei resolver.
 
Mas caso haja uma solução para isso me diga por favor.”
E cantava o saudoso Martinho da Vila, ‘já tive mulheres de todas as cores… de várias idades… de muitos amores…’
Nosso camarada teve algumas decepções, isso é certo.
Mas tal fato se chama viver!
Pois o que caracteriza um cara experiente? Ele ter passado por experiências é claro. (boas e ruins)
Não tem como eu dar uma fórmula que te proteja de se surpreender com as mulheres, jogador. Até porque a maioria é piriguete hoje em dia.
O que você pode fazer é ter uma visão mais aguçada sobre a personalidade de cada uma.
Porque se envolver com alguém será sempre uma aventura.
Aos poucos se vai conhecendo as qualidades, os defeitos e o quanto somos importantes para ela.
No filme ‘Alfie’, o cara conhece o sexo feminino detalhadamente.
Uma das várias dicas interessantes que ele dá é ficar atento ao momento Oh-oh.
Tipo se a garota fala alguma coisa inconveniente sobre você na frente de seus amigos por exemplo…
Ou você nota que ela ri de tudo que um cara está falando, fica perto dele, tocando…
Pode ser ao dar uma crise de ciúmes e jogar o seu celular na parede.
São todos indícios de problema.
Não sei de você, mas de mulher-problema eu quero é distância!
E problema mesmo é pegar compromissada.
Tenho a impressão de já ter falado das possíveis hipóteses abaixo, mas lá vai o que acontece:
1-Você pega a garota, ela se apaixona, termina o namoro por sua causa e você não quer nada com ela. Ou até quer e aceita o perigo de ser o próximo corno da vez.
2-Você pega a garota e se apaixona. Mas ela nem liga e continua com o cara.
3-Você pega, ninguém se apaixona mas o cara descobre, podendo te perseguir, agredir ou coisa pior.
E tem a chance remota de ninguém se apegar e o cara não descobrir. Mas acho um jogo arriscado de apostar.
Quanto ao seu ego ficar preocupado se vale a pena investir em mais uma relação, meu brother, curte o momento.
Faça com que seja prazeroso, divertido.
Não se atenha a “poxa to querendo algo sério com alguém”. Concentre-se no presente e no AGORA!!
Seja uma fonte de coisas boas para as mulheres.
Tenho certeza absoluta que quanto mais você ficar no jogo, mais chances terá de encontrar aquela gatinha especial. Enquanto isso, pega mas não se apega!!
Para fechar, citarei o grande Dinho do Mamonas Assassinas:
Não tenho medo do amanhã… até porque ele não me pertence”.
Abraço do DON