Arquivo da categoria: Análise do JC

[Análise do JC]- O amigo dele atrapalha nosso namoro

Como o MDJC continua recebendo, diariamente, diversas situações para analisar, lá vai mais uma antes que os leitores fiquem sem resposta e depois seja tarde demais!

Aliás, o caso de hoje é de uma leitora.

 

“Don! Comecei a namorar há pouco tempo com um rapaz muito legal, mas um amigo dele morre de ciúmes da gente e deu pra implicar comigo agora, tornando as situações super incômodas. Já tentei conversar com o rapaz, mas ele não quer papo e meu namorado também não quer se meter. Não sei direito como lidar com essa situação… Pois estamos há menos de 2 meses juntos, mas esse amizade dele também não tem mais de 3 meses. Você acha que o meu namorado deveria tomar uma posição?” 

O amigo não quer soltar é?

Mas certamente seu namorado já deveria ter tomado uma atitude!

As pessoas nos respeitam até o limite que determinamos.

 

Lembro de um camarada meu…

Certa vez, na balada, estávamos lá curtindo quando conheci essa menina e rolou um lance.

Aí me perdi dele e fomos nos falar só depois de uns dias, quando o sujeito já veio cheio da dor de cotovelo:

Ah Don, pegasse a fulana?? Já fiquei com ela pô (quem te perguntou?)! Altas safada! E nada haver aquela guria. Levei um dia pro motel e ficou só me enrolando… fiz papel de bobo, perdi meu tempo…”

Êta orgulho ferido hein?!

Mas tudo certo, não dei bola para as contradições dele e segui a vida. Ou melhor, segui ficando com ela.

Semanas depois, por acaso, comentei que ia sair com a dita cuja. Foi quando ele questionou, falando alto e com a veia do pescoço saltando:

“O quê???? Tu ainda fica com a fulana??? Tá é maluco cara!!”

Nessa hora fui obrigado a rir e perguntar o por quê.

“Não, não, que isso… altas safada pô!! No verão vi ela e uma amiga com 5 caras lá na praia, depois entraram numa casa e ficaram dando risadas! Acho que as duas deram pra eles! Na verdade, acho até que ela deve ser garota de programa!”

Foi demais pra mim.

Com toda a calma do mundo, mas de forma assertiva, coloquei as cartas na mesa:

Ê, ê, menos… pode baixar o tom de voz aqui na minha casa… quer dizer que ela é garota de programa porque estava curtindo as férias em algum lugar? Cara, para de falar nada com nada! Desde aquele dia na balada tu tá mordidinho pô… melhor cuidar da tua vida e não se meter na minha.”

Depois disso ele se lamentou, dizendo que eu queria discutir por causa de mulher, sei lá do quê, pegou e foi embora. Acabou a amizade ali, se é que existia.

 

O que quero dizer jogadora, é que amigos de verdade querem o bem um do outro.

Se um deles consegue novo emprego, qualquer conquista ou conhece uma garota, ele vai ficar feliz e apoiar. E caso seja contra, vai ficar na dele, pois cada macaco permanece no seu galho.

O resto considero apego, inveja, sentimentos desse naipe.

E respondendo à sua pergunta, demorou pro seu namorado se impor. Saber a hora de curtir com você e depois com o amigo, sem ficar falando de um para o outro. Simples.

Ou mandar o folgado cuidar da vida dele, como fiz no caso acima.

Melhor ainda: apresente o Manual do Jogador Caro pra ele .   😉

 

Abraço do DON

*artigo relacionado: “O que fazer com o cupido carente?”

*comenta aí jogador!


[Análise do JC]- Quanto investir num início de relacionamento

Segue o caso do leitor em itálico, meus comentários em negrito, e ao fim, a conclusão:

 

“Fiquei com uma garota na noite, bonita e bastante tímida, peguei o contato e conversamos por facebook no dia seguinte. Eu tinha achado ela bem legal e tínhamos muitas coisas em comum e por isso convidei para sair no fds seguinte (sexta). 
Ela sugeriu um cinema porque trabalhava no dia seguinte e tudo ocorreu normalmente, foi legal e logo marcamos um segundo dia que acabou sendo um sushi na segunda. Foi tudo certo também, eu dei uma esquentada de leve mas ela freiou e pediu para voltar para casa.
Durante a semana nós trocamos msg (sempre por iniciativa minha) (aí que já pode ter feito errado) e as respostas foram sempre interessadas, marcamos de nos encontrarmos de novo no domingo, mas no sábado quando eu fui perguntar para ela se tava certo para o domingo ela falou que tinha saído na sexta para uma night e tinha ficado com dor de garganta e desmarcou e não falou mais nada, nesse momento percebi uma certa frieza dela. (vocês iam tomar sorvete por acaso? Que desculpa esfarrapada)
 

 

No domingo pelo chat do facebook puxei um papo (no dia seguinte do bolo já foi puxar papo? Falhou) e falei que gostava de sair com ela e queria saber se ela queria continuar saindo comigo ( tentei ser franco e botar de uma maneira mais direta evitando que ela me enrolasse caso quisesse parar), ela falou que também gostava de sair comigo e que não tinha me dado bolo, que ficou mal mesmo. Falei beleza e perguntei se ela queria marcar alguma coisa, ela disse que só poderia no próximo domingo por estar enrolada (detalhe, quem estava sendo enrolado era você, mais do que um macarrão). Durante a semana, por desconfiança de estar dando muita atenção para ela (aleluia!), não falei nada e nem ela. Já na sexta mandei uma msg perguntando se estava confirmado domingo, ela veio falando que estava muito ocupada mas não respondeu a pergunta, ainda assim mais tarde eu perguntei de novo ela disse que faltava muito para o domingo ainda, “vamos ver” disse . Bom daí entendi que ela não queria mais sair, brinquei que ela complicava muito e me despedi. Fiquei sabendo que nesse dia ela tinha saído para a night. (até o Chapolim suspeitou desde o princípio)
 

 

O caso é, meu caro Don, que no início eu não ligava muito (ligava não, mas já nas mensagens…) e depois de sairmos juntos esse desfecho me incomodou. Gostaria de saber de você se devia ter parado de tentar antes, se foi na hora certa ou se não deveria ter parado, que ainda poderia/pode rolar algo. Cabe uma observação que a amiga com quem ela sempre sai tinha acabado de terminar o namoro e queria curtir a solterice com ela, chamando sempre para várias noitadas, repudiando qualquer relacionamento mais fixo. (isso influenciou mas não foi o principal)
Sinta-se a vontade para criticar, seria legal ter a garota de volta, mas meu principal interesse é aprender com os erros, então pode criticar a vontade.
 

 

Valeu pela ajuda e muito sucesso pra você!

 

 

É meu amigo…
o jogo da pegação nunca foi simples como muitos acham que é.

 

Pelo o que percebi, você foi tomando iniciativas em procurá-la depois que ficaram, acreditando que esse é o papel do homem.
Nesse ponto até concordo contigo.
Só achei que depois do segundo contato, no sushi, não precisava ficar mandando mensagens durante a semana. Seu erro começou aí.
Certamente foi com muita sede ao pote, jogador…
Já aconteceu de você estar morrendo de vontade de dar um gole numa garrafinha d’água e pegar com tanta pressa que chegou a derrubar? Então.
Tanto que ela deu o perdido, foi pra balada e – tadinha né – ficou com dor de garganta.

 

Tudo isso porque comunicou pra ela algo do tipo “gostei de você, no momento não tenho interesse em nenhuma outra garota e por mim topo um romance contigo“.

 

Entendo que suas intenções eram boas, mas disso o inferno está cheio.
Para a relação progredir a garota também deve se mexer. E é papel do JC dar espaço para que isso acontece e observar com olhar crítico cada passo dela.

 

 

Em seguida você tentou ser franco, tipo colocar as cartas na mesa para saber qual era a dela.
Essa jogada não há de ser feita meu brother. Pelo menos no início de uma relação que talvez nem vire relação.
Mulheres e pessoas em geral não curtem ser colocadas contra a parede.
E ressalto que é seu dever se ligar na intenção dela.
Na dúvida, vale mais a pena não dar nenhum passo, do que se precipitar.
Naturalmente, após mais uma série de contatos e investidas suas, ela o enrolou bonito e caiu na balada novamente.

 

Da próxima vez, deixa as mensagens como exceção da exceção. Ficar mandando msg direto é coisa de mulher. Prefira por ligar.
Outra coisa, o interesse, a paixão, despertam mais na ausência da pessoa.

 

O importante mesmo é perceber que você se equivocou um pouco na dinâmica pegatória, isso é certo.
Mas saiba que outros motivos podem ter impedido a continuidade da relação, como

 

1- ela está em ritmo de festa e não quer um rolinho agora (lembra da música do Silvio Santos? É ritmo…. é ritmo de festa!!!)
2- ela simplesmente não te curtiu tanto
3- ela é maria-vai-com-as-outras e deixou a amiga impedir o amor entre vocês (o que considero improvável)

 

Vou te falar rapaz… já tive momentos bons com certas garotas e por qualquer motivo, a parada não andou mais pra frente.
Assim como engrenou com outras e resultou em histórias bem legais, de semanas, meses ou até anos.
O jogo é assim e você não pode parar de jogar.

 

Abraço do DON

Análise do JC: O que aprender com os joguinhos dela?

“Conheci essa mulher quando ainda não fazia ideia do que era ser um jogador caro, já que a analogia é óbvia, eu tinha meus vislumbres de craque mas me faltava objetividade.
Nos conhecemos na metade do ano passado, desde então nos encontrávamos com frequência, não chegando a ser um namoro, mas em dezembro ela começou a dar sinais de que não estava mais curtindo (agora percebo que ela estava esperando mais iniciativa de minha parte, para propor o namoro).
(tem certeza? Pode até ser… como pode simplesmente ter cansado do lance, se interessado por outro, etc…)
Nesse período ela estava com aulas da especialização dela e ficamos sem nos ver por um mês e meio aproximadamente, importante falar que eu estava apaixonado por ela (cagada, fiquei cego), quando voltamos a nos falar queria saber porque ela não tinha gostado, ela tentou desconversar mas falou que esperava mais atitude de minha parte.
(é isso que eu digo. Por mais que ela quisesse firmar um compromisso, toda garota sente quando o cara está apaixonado, e nenhuma desiste se o sentimento for recíproco)
Nessa conversa que tivemos não brigamos ou nos ofendemos em nenhum momento, então ela me disse que gostaria de manter contato comigo porque me achava uma pessoa legal e gostaria que fossemos amigos, analisei por um tempo e falei para ela que gostaria de continuar amigo dela, acho uma pessoa muito boa e ótima amiga, mas que para manter somente a amizade deveríamos evitar falar sobre intimidades e relacionamento, ela concordou.
Porém, uma semana depois, adivinha o que acontece, ela vem me perguntar se eu estava de olho em alguém ou algo assim, fiquei sem reação, toda a conversa que havíamos tido não serviu de nada. Tudo bem, dei uma resposta qualquer e segui a vida.
(já imaginou que ela pode ter perguntado porque a mesma já estava de olho em outro cara e estava com um pé atrás em te magoar?)
De um tempo pra cá, uns 2 meses, ela voltou a me dar indiretas, neste momento já conhecia o MDJC, joguei mais duro com ela, aquele jogo de puxa empurra ela ficou maravilhada.
Convidei ela pra uma festa e deixei bem clara a minha intenção, ela topou. Aqui tenho que explicar que a menina é bonita pra caramba e ainda tem aquela sensualidade e é extremamente carismática, já sabia que ela tinha muitos amigos, sim homens também, e como bem dito pelo MDJC de 10 amigos no mínimo 9 querem algo, com ela no mínimo 10.
Bom, continuando na festa ficamos conversando com um grupo de amigos e eu conversando com ela, depois de uns 15 minutos, estava rodeada de homens dando atenção a ela, alguns amigos que eu não conhecia, era visível o seu prazer ao ficar sendo paparicada por todos aqueles homens ao mesmo tempo.
(nossa… você que a convidou para a festa e ela tendo essa atitude)
O que fazer? (conversar com outras garotas de forma interessada seria uma boa, pegar telefones, e em último caso, agarrar alguma ali mesmo) 
Falei no ouvido dela que iria para um lugar mais calmo porque ali estava muito “cheio”, quando virei as costas pra sair ela me puxou pelo braço e perguntou se eu estava bem em resumo fez um carnaval sendo que eu somente iria dar uma volta. (incrível como essas jogadoras mantém um frame de superioridade)
Um tempo depois ela veio atras de mim então voltamos a nos reunir (eu, ela e alguns amigos em comum), comecei a jogar mais agressivamente, a balada era eletrônica e ela estava curtindo, me falou que a musica que estava tocando era muito boa, então falei dança aqui comigo, ela estranhou e falou que essa musica não se dançava junto e desculpinhas (tsc tsc tsc), um minuto depois estava dançado com um “amigo” dela, cheguei no seu ouvido e falei que o jogo tinha acabado, ou escolhe os teus “amigos” ai te lambendo ou vamos para um lugar reservado só eu e você. (aqui você se rebaixou mesmo)
Não sei se ela queria continuar jogando mas o fato é que não veio atras. (até a mãe dinah previa essa)
Bom até ai tudo certo a derrota também faz parte. Porém, na mesma semana voltou a fazer joguinhos comigo, pelo msn, facebook, passado um tempo, um mês, me convidou para fazermos uma viagem para os canyons aqui no RS quase divisa com SC, falei que sim, não conhecia ainda e adoraria ir com ela (assim? Depois de te tirar para capacho na festa que VOCÊ a convidou pra ir? Mandou mal em aceitar), só que nessa viagem ela levou um “amigo” (outro que, já tinha visto, falado algumas vezes), percebi que ela estava tentando esconder alguma coisa, desconfiei na hora, estava quase certo que havia um lance entre os dois.
Uma pausa para falar que isso não seria problema nenhum, contanto que ela não me escondesse o jogo.
A verdade é que se ela deveria ter me dito para que eu tirasse meu time de campo. (discordo, ela não deveria ter feito nada, e sim, você, se valorizado e cortado as asinhas dela, tirando seu time de campo).
Bom descobri durante a viagem que ela estava ficando com ele, a pouco tempo pelo que eu pude perceber. Na volta da viagem, esta segunda, escrevi pra ela que ela deveria ter me contado, porque fiquei fazendo papel de bobo, ela me respondeu que eu não tinha nada que ver com quem ela se relacionava, sendo que em qualquer momento comentei algo sobre essa pessoa, ou que ela não devia se relacionar com ele, simplesmente cobrei que ela deveria ter me falado, novamente ela negou que tinha pisado na bola comigo, respondi que quando ela percebesse o erro que cometeu ela voltasse a falar comigo, se ainda queria manter a nossa amizade. (o porque qualquer possibilidade de relacionamento já era). (parabéns, você foi praticamente um massagista profissional do ego dela e a garota tirou onda com sua cara)
 
Minha dúvida é a seguinte, acredito que agi corretamente. (eu não iria por esse caminho)
Sei que em alguns momentos falhei mas gostaria de levar o conhecimento dessa relação para comigo, por isso peço uma ajuda para a análise da situação. Pode puxar a orelha a vontade.” 
Pera aí então…
Deu!
Como o caso ficou bem extenso, serei o mais objetivo possível.
Algumas pessoas gostam de fazer joguinhos de manipulação porque isso traz certa sensação de poder a elas.
Principalmente jogadorinhas com uma lata bonita.
Se você tivesse iludido a garota em outro momento, pego várias, brincado com os sentimentos dela, talvez até teria motivos para isso tudo.
Mas ao meu ver, ela quis apenas sentir o que falei acima, e você meu caro, na primeira atitude dela sem integridade, já tinha que ter pulado fora.
Nunca aceite comportamentos que despreza. Do contrário, será uma bola de neve e você perderá tempo, energia e outras oportunidades dando atenção para uma perversa como essa.
Falo com conhecimento de causa pois já passei por isso e vi muita gente passar.
E dane-se! Agora você está vacinado my brother e isso que interessa.
Abraço do DON
*quer entender melhor a mente desse tipo de fêmea e como lidar, aconselho os livros de Nessahan Alita.
*comenta aí jogador!

Análise do JC: A difícil arte de ser seletivo

“No dia a dia em relação às abordagens, ou quando sei que deveria fazer algo desprendido de resultados… vem o pensamento de que é muito esforço pra pouco resultado (Muito diálogo, tempo gasto investindo na pré – suposta, quando no fim das contas a garota nem é lá isso tudo, pois ultimamente só ando encontrando essas bem mais ou menos)… (então você ouviu falar sobre se desprender dos resultados, mas ainda não vive essa verdade, pois acha esforço conhecer mulheres. Já essas “bem mais ou menos” são apenas garotas que não lhe atraem em outros níveis fora o físico. E realmente, quanto mais seletivos somos, mais difícil de encontrar aquela que fecha conosco)

Tá complicado “amar” essas minas… As que são tranquilas faltam personalidade, as que tem personalidade e senso de humor, são drogadas, dadas, materialistas cheias de “esquemas”. Logo penso que não vou me sujeitar… Sou muito mais que isso (acho que ninguém é mais do que ninguém jogador. Você é apenas diferente dessas e não está atraído fortemente por nenhuma garota, faz parte).. mereço algo melhor… no entanto esse algo melhor ainda é utopia… nao to afim de conquistar por conquistar só pra ter mais um número ou uma a mais no meu pé.. inclusive me livrei de boa parte…

Enquanto ao ego, noto em mim ele atuando e tentando se manifestar (boa parte das vezes consegue) e nos outros também, atitudes egocêntricas. E em relação a desconhecidas… várias muito bonitas o dia todo, porém acho que entrei meio que num processo de generalização e nem ando animado pra jogar.. to ligado que é uma fase… mas realmente a beleza não me impressionar mais… vi uma frase que disse ” SE VC FOSSE CEGO, QUAL SERIA A GAROTA IDEAL E POR QUE? ” Eu ja tinha pensado sobre isso.. e vendo a frase, venho refletido isso a muito tempo… enfim… Tens algo a me dizer?”

 

Uma atividade que me ensina muita, mas muita coisa mesmo, é surfar.

Por ser um esporte que depende da natureza, nunca sabemos ao certo se as ondas estarão boas.

Tem dia que o vento é fraco (perfeito) mas a ondulação, muito baixa;

Quando está bombando de onda, o vento fica forte e prejudica a formação delas;

Incrível mesmo é ver através dos boletins de surf na internet, fotos da praia, um dia clássico, aí você faz tudo correndo pois tem certeza que realmente vai valer a pena, e ao chegar lá…. PUF! A maré encheu demais e ferrou com tudo.

Na maioria das vezes ficamos frustrados.

Só que mesmo assim se continua acreditando… chamando os amigos, indo mais uma vez em busca das rampas d’água, até que de repente, justo naquela tarde que você nem tinha tanta pretensão, acaba encontrando a harmonia completa e um dia alucinante de surf que talvez seja lembrado após muitos anos.

Deu pra captar a mensagem?

 

Nosso amigo (que conhece muito os conceitos do MDJC) está desanimado com as opções que vem encontrando.

Realmente, quando damos valor à personalidade da garota, o jeito, humor, sensualidade, enfim… essas características tornam-se imprescindíveis para despertar o interesse do Jogador.

Por isso demora até encontrar.

O ideal é não se identificar muito com essa fase… idealizar, dar significado, como ele está fazendo…

Vai levando sua vida bilie joe!!

Não existe isso de “esforço” para interagir. Você simplesmente abre a boca, da um sorriso ou faz um comentário sempre que ver a oportunidade em sua frente. Desenrola a ideia talvez. E se rolar, pega pra ver qual é!

Quanto mais estiver aberto, mais chances de ela aparecer.

Para finalizar, duas frases de sabedoria:

“Enquanto não se acha a certa, diverte-se com as erradas”

“Se não existe a possibilidade de fracasso, a vitória é insignificante”

 

Agora me dá licença que vou surfar porque a noite tem que dar o curso MDJC que está bombando!

Abraço do DON

 


Análise do JC: A procura do grande amor

“As minhas experiências em relacionamentos não foram boas. Sempre acabaram de uma forma ruim, mas tentei aprender algo com eles. (dificilmente acaba de uma forma legal jogador. Se for por isso que essas experiências não foram boas, repense)
A história resumida é assim:
Meu primeiro namoro foi meio complicado… minha namorada terminou comigo pra ficar com outro, depois terminou com esse outro pra ficar comigo. (muitas mulheres são influenciadas por aquele conto de fadas fortemente exposto em novelas e filmes, onde estão num relacionamento sem graça e chega o príncipe encantado para resgatá-las)
Chegou a um momento que ela preferia ficar no msn conversando com outros do que me ver, quando chegou a esse ponto terminei com ela.
 
Minha segunda namorada me traiu num show com um cara que até então era meu ”amigo”, logo depois terminei o namoro, mas nós sempre dávamos o famoso ”remember”, nos encontrávamos algumas vezes durante a semana e tal… (foi traído e voltou a ficar com ela. Mau negócio)
 
Depois que estava na faculdade me envolvi com uma menina comprometida, após um tempo me apaixonei, oque só me trouxe problemas. Levou um tempo pra esquecer dessa jogadora. (abaixo vou ressaltar os prejuízos de pegar mulher dos outros)
 
No meio deste ano fui viajar com uns amigos para um sítio e lá encontrei uma menina que eu já ficava de vez em quando. Após três dias ficando com ela direto, no último dia ela ficou com o irmão da minha amiga, dona do sítio. (safada será?)
 
Vendo isso percebi que sempre que me apaixonei (tirando o ultimo caso, porque não deu tempo de rolar um sentimento mais forte), no fim das contas deu problema.
Claro que tirei algum aproveitamento, não dou minha confiança logo de cara, aprendi a ver as pessoas pelo que elas fazem e não pelo que dizem, não fico mais com mulher comprometida, entre outras coisas… enfim. Só que acredito que isso me fez ficar meio com pé atrás quanto a relacionamento de longo prazo. 
Eu quero algo mais sério, mas sempre que há a oportunidade meu ego entra em ação e destrói tudo. Nestes casos ainda não consigo controlar o ego. Mas acredito que logo mais, com o que aprendi com o MDJC, poderei resolver.
 
Mas caso haja uma solução para isso me diga por favor.”
E cantava o saudoso Martinho da Vila, ‘já tive mulheres de todas as cores… de várias idades… de muitos amores…’
Nosso camarada teve algumas decepções, isso é certo.
Mas tal fato se chama viver!
Pois o que caracteriza um cara experiente? Ele ter passado por experiências é claro. (boas e ruins)
Não tem como eu dar uma fórmula que te proteja de se surpreender com as mulheres, jogador. Até porque a maioria é piriguete hoje em dia.
O que você pode fazer é ter uma visão mais aguçada sobre a personalidade de cada uma.
Porque se envolver com alguém será sempre uma aventura.
Aos poucos se vai conhecendo as qualidades, os defeitos e o quanto somos importantes para ela.
No filme ‘Alfie’, o cara conhece o sexo feminino detalhadamente.
Uma das várias dicas interessantes que ele dá é ficar atento ao momento Oh-oh.
Tipo se a garota fala alguma coisa inconveniente sobre você na frente de seus amigos por exemplo…
Ou você nota que ela ri de tudo que um cara está falando, fica perto dele, tocando…
Pode ser ao dar uma crise de ciúmes e jogar o seu celular na parede.
São todos indícios de problema.
Não sei de você, mas de mulher-problema eu quero é distância!
E problema mesmo é pegar compromissada.
Tenho a impressão de já ter falado das possíveis hipóteses abaixo, mas lá vai o que acontece:
1-Você pega a garota, ela se apaixona, termina o namoro por sua causa e você não quer nada com ela. Ou até quer e aceita o perigo de ser o próximo corno da vez.
2-Você pega a garota e se apaixona. Mas ela nem liga e continua com o cara.
3-Você pega, ninguém se apaixona mas o cara descobre, podendo te perseguir, agredir ou coisa pior.
E tem a chance remota de ninguém se apegar e o cara não descobrir. Mas acho um jogo arriscado de apostar.
Quanto ao seu ego ficar preocupado se vale a pena investir em mais uma relação, meu brother, curte o momento.
Faça com que seja prazeroso, divertido.
Não se atenha a “poxa to querendo algo sério com alguém”. Concentre-se no presente e no AGORA!!
Seja uma fonte de coisas boas para as mulheres.
Tenho certeza absoluta que quanto mais você ficar no jogo, mais chances terá de encontrar aquela gatinha especial. Enquanto isso, pega mas não se apega!!
Para fechar, citarei o grande Dinho do Mamonas Assassinas:
Não tenho medo do amanhã… até porque ele não me pertence”.
Abraço do DON

Análise do JC: programa A Liga (10/7), sobre sedução- parte 2

Depois de algumas reflexões feitas na parte 1, continuamos analisando a arte de pegar mulher:

 

4- Bar game II

Nosso fiel jogador Murilo Couto chega com o abridor da opinião feminina sobre shows nas redondezas.

Já achei que não colou porque uma informação não é uma opinião e saber onde tem banda tocando não é nada relacionado a elas serem mulheres ou homens.

Uma delas mostra interesse e desconfiança: “Você tá sozinho mesmo? Aonde você mora?”

No que ele tenta enrolar, a outra já afirma com rigidez: “Não pode entrar de chinelo nem boné. Não pode.

Eu responderia algo do tipo “Ah tranquilo, eu deixo ele na sua bolsa“. Isso porque amiga-obstáculo sempre aparece e essa é a hora de se mostrar confiante. Beleza, ele nem quis perder tempo, pediu o telefone e ejetou.

Uma delas ainda lamentou ahhhh….”, isso foi bom.

Mas apenas pegar o contato não significa nada. Deve haver algum momento divertido ou uma certa tensão sexual criada para que ela fique interessada na sua ligação.

 

Importante:

Não se preocupa sobre quanto tempo esperar para ligar.

Se for em uma semana ou duas, ela pode adorar porque será uma surpresa. Basta explicar o porquê da demora.

Se ligar no mesmo dia ou no dia seguinte é ótimo também (comprovado). Mostra que se interessou mesmo nela e é um cara que vai atrás do que quer.

Agora, esperar 2/3 dias? Isso é coisa de menininho inseguro e elas percebem tal “estratégia”.

 

5- Se qualificando

O Leandro pegou na mão dela e deu um beijo.

Apesar de parecer estiloso, as mulheres hoje em dia curtem muito pouco cavalheirismo.

Valia pegar na cintura e dar um beijo na buchecha devagar, sem pressa, perguntando o nome dela, olhar fixo, sorrisinho, jogando caro no caso. E NA REPÓRTER TAMBÉM!

Então podia falar algo do tipo “olha, vou admitir….. gostei do seu estilo… mas e se eu te perguntar o que de diferente você tem das outras garotas bonitas daqui hoje?”

Ou qualquer coisa do tipo.

Ao invés disso, ele chega se qualificando tipo numa entrevista de emprego “meu nome é Joselito, sou arquiteto, gosto de pagode e desenho animado”. 

Você deveria ser o comprador ao invés do vendedor.

Pergunte sobre a garota!! Faça ela se qualificar e não o contrário.

O resto foi apenas consequência daquilo que ele estava pensando: preciso obter validação dela.

 

6- Night game

A velha história da opinião e qual balada é qual.

Mas beleza deu certo pois logo elas já linkaram outro assunto “A gente veio com o date dela“.

Murilo jogou legal falando de perto com cada uma do grupo. Pode perceber que elas disputam sua atenção (mulheres, seres altamente concorrentes entre si).

Ainda mais quando falou para ela se vingar do cara. Jogou LINDO!! Ouviu depois: “Eu não vou sair daqui sem me vingar”.

Só que jogadorazinha de balada adora lançar a isca e puxar antes da hora, apenas pra sentir o poder de rejeitar.

Ele podia falar algo do tipo “isso foi uma indireta?” Aí já virava para as outras e dizia “a amiga de vocês tá querendo me agarrar”.

É assim que rola o flerte, na base da provocação. Não dá pra morder a isca tão rápido.

Então a comparsa dela manda ele pagar uma bebida pra poder ficar com a guria, provando que muita mulher em festa é um tipo de garota de programa.

Era hora de dizer que pagaria caso elas pagassem uma pra ele primeiro. Ou falar “Bebida? Se ela ficar comigo eu boto uma garrafa pra vocês“. Aí, é claro, beijava e depois saía rindo da cara delas.

Só que ele esqueceu que ali são apenas negócios e levou para o lado pessoal (como diria meu amigo Don Corleone), mesmo num tom de brincadeira, acabou entrando na vibração negativa da piriguete e deu no que deu. O pior é que esse tipo de fêmea comemora ao pisar num cara gente fina.

Na segunda abordagem eu não entendi se rolou desinteresse dele ou falta de saber como finalizar.

Se for este o caso, valia a pena chamar o alvo para o bar apenas para tirar a amiga da jogada e aí sim pegar, ou mais tarde, chamar de canto.

 

7- Night game II

A cheirada no pescoço até caiu bem. Mas deveria falar com mais calma… mais envolvente… e mais no ouvido… parece difícil só que na prática dá  pra perceber a diferença, porque você fica totalmente à vontade com seu interesse e ela quer sentir isso ao invés de qualquer porcentagem de nervosismo de sua parte.

Só que dar uma cafungada e dizer “CHEIROSAA, MUITO CHEIROSA! PARABÉNS FULANA” e partir para o beijo, não funciona. Faltou calibração.

Já na segunda garota a cartada certa foi perguntar o que ela estava bebendo depois de puxar assunto. Reforço que uma pitada de humor sempre cai bem. Quando ela ofereceu a bebida Murilo podia perguntar “tem droga aqui?“. “Você tem cara de quem gosta de aprontar com caras legais como eu“.

Em seguida falou da tatuagem dela, sempre focando no que a garota tem ou está fazendo, isso é excelente.

Nessa que recebe a pergunta de ouro: “Você tá sozinho?

É complicado dizer que está porque comunica falta de amigos, carência, algo do tipo. Tanto que depois ela fala “tá sozinho, não tem amigos, namorada, que triste“.

Como não dava de falar totalmente a verdade, quem sabe algo perto disso: “Estou com um amigo que se acha o rei da paquera… que usa vários truques decorados pra pegar mulher… (pausa pra ela falar alguma coisa)… e acho que essas coisas acontecem naturalmente… quando você olha pra pessoa, ta gostando de conversar, sentindo aquele lance bom sabe…” e aí ia depender da criatividade dele no momento, mas era a hora de fazer a transição do papo normal para a demonstração de interesse nela.

De qualquer jeito ela mostrou interesse mais uma vez ao perguntar se ele tinha namorada. Faltou novamente criatividade para desenrolar um papo a partir daí, porque apenas responder “não, e você?” não tem graça alguma. O que falar depois, “ok, então vamos ficar?” ?

Depois disso a garota fez como a outra jogadora na balada, dando corda apenas para o cara se enforcar.

 

Conclusão:

 

Murilo Couto teve atitude isso é certo. Sendo filmado, sozinho, tendo que seguir dicas duvidosas, é difícil mesmo.

Sem contar que conhecer mulheres depende muito do dia. Às vezes somos tipo um rei, em outros, um cara invisível.

Faz parte do jogo.

 

Apenas na prática desenvolvemos uma percepção de certas situações e aprendemos a lidar com elas de forma mais habilidosa, aumentando as chances de resultado positivo.

Quero deixar claro que tudo que analisamos nesses dois artigos contém variáveis… não julgo o Manual do Jogador Caro a verdade incontestável sobre dinâmicas sociais. São apenas pontos de vista com certo conhecimento de causa.

Ressaltando também que muito do que se falou nesse programa foi tirado do Mystery Método, um livro sobre sedução feito por um americano (parece que alguém esqueceu de citar). Apesar de conter boas observações nele, certas coisas tornam-se mais robóticas do que naturais, fato que pode atrapalhar sua investida.

 

No mais, parabéns Murilo, continue jogando!

 

Abraço do DON

*gostaremos de conhecer sua opinião jogador!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Análise do JC: programa A Liga (10/7), sobre sedução- parte 1

Quando se fala em seduzir, normalmente sentimos uma mistura de curiosidade com descrença, pois existe aquela percepção de que somente poucas pessoas nascem com este dom divino.

Talvez por isso a “arte” acabou virando pauta no programa A Liga, transmitido pela band.

Para início de conversa, nunca curti o substantivo sedução.

Me lembra esforço para se conseguir algo, entende?

Tipo um malandro fazendo propaganda sobre um stéreo incrível para o seu carro, com áudio de alta definição, controle remoto, entrada para usb, bluetooh, da mesma marca que o snoop dogg escuta… mas que no final das contas era só um migué para pegar o seu dinheiro e sair pela porta dos fundos.

Ou uma garota que se agacha na sua frente com um decote enorme para chamar sua atenção (ou seu tesão).

Homem não precisa seduzir. Pelo menos o Jogador Caro.

 

Ele só age.

Ele É.

Ele é confiante, tem energia, iniciativa e desenvoltura. Não há esforço para manipular o interesse feminino, pois sua personalidade e estilo já são atraentes por si só. E com um simples olhar ou poucas palavras, o sinal fica verde e ele avança. Ou quando não fica também, liga o f$%#-@#.

Dito isso, falemos sobre o programa.

 

Numa estrutura bem feita, dividiram as cenas entre um repórter acompanhando certo grupo de mulheres mais “coroas” e dispostas a continuarem no jogo (muito legal essa parte)… outro batendo papo numa mesa com uma garota bonita, um especialista em sexo, entre outras pessoas… o Taíde usou algumas atrizes para passarem aquelas velhas cantadas de pedreiro nos caras… foram em algumas baladas… e por fim, o comediante Murilo Couto recebeu treinamento de como chegar na mulherada.

Como o MDJC busca sempre atender ao padrão de qualidade dos seus leitores, nós separamos as partes mais interessantes e faremos uma análise divida em 2 artigos.

Confira!

1- Day game

Partindo da premissa que a garota não o reconheceu, vemos que ele chega de um jeito meio louco, brincando, mas que parece funcionar. Curto esse tipo de aproximação, principalmente na balada.

Ainda mais porque ele falou sobre algo que estava acontecendo, no caso, a garota e sua mala.

O tanto de risadas e mexidas no cabelo indicaram duas coisas: ela estava muito interessada ou lembrou dele da TV.

A gaguejada foi uma bola fora. Contudo, como já ia bem, beleza.

Perguntou o nome dela na hora certa, ela respondeu e perguntou o dele (interesse) e o que estava fazendo ali.

Nessa hora é que Murilo devia ter inventado alguma desculpa, porque falar “estou gravando para um programa sobre sedução” não ia cair bem.

Tampouco “tô aqui… na rua… fazendo amizade”. Falhou.

Em seguida era o momento de pedir o telefone e dar as costas, mas demorou, e ela relutante, falou (ou inventou) que tinha namorado. Mas valeu a tentativa, o que mais importa é que atitude, depois basta ver no que pode melhorar para as próximas. O resultado tanto faz.

*O jogo no dia-a-dia é complicado por que ele deve acontecer naturalmente, entre um lugar e outro que nós estamos indo. Ninguém gosta de um desocupado que passa a tarde caçando por aí.

2- Sobre as dicas

Quanto às formas de puxar assunto, esse é um longo tópico e você pode conferir com detalhes e exemplos no nosso curso MDJC.

Apenas prezo por abrir de forma natural, criativa e verdadeira.

Sem essa de inventar histórinha para boi dormir. Principalmente porque o Murilo já estava mandando bem nos abridores… (tanto que ele reclamou da ideia de ter que mentir)

Evitar secar a garota é válido. O olhar triangular também, mas esqueça os 2 segundos ou a sequência exata. Serve apenas para intensificar o papo e mostrar certa atração.

Quanto aos bares, normalmente é estranho chegar sentando. Julgo melhor chegar em pé, no relax. E caso role uma condição, aí sim puxa uma cadeira enquanto pergunta “posso me sentar um pouco com vocês?”.

Considero que podia ter colocado mais uma pilha boa de camarada mesmo no Murilo, afinal de contas, a energia e iniciativa são bem mais importantes do que certos truques.

3- Bar game

A primeira abordagem deu certo, a garota alimentou bem a conversa.

Achei que faltou uma pitada de humor. Tipo quando ele falou o nome fictício dele, “Túlio”, ela assim, “Túlio o quê?”… eu responderia “Túlio o Jogador Caro” ou algo do tipo e daria um sorriso, e não meu sobrenome.

Humor sempre cai bem, basta ver a abordagem que Murilo fez na rua.

No final ele deu conta, ficou o tempo ideal e pegou o telefone. Mas serviu apenas para esquentar, porque ao que tudo indica, eram meio engraçadinhas elas.

Por hoje é só pessoal.

 

Fiquem atentos à segunda parte que o negócio começa a ficar sério!

Abraço do DON


Análise do JC: “Até quando ter paciência é saudável?”

Olá Don, vi seu blog e virei fã rapaz! (bem vindo ao time nego velho)
Uma das temáticas que mais me chamou atenção foi acerca da reatividade. Cara, estou no PU (*Pick Up, arte que estuda dinâmicas sociais, atração/relacionamentos e auto-conhecimento) desde o início de 2010 e observo que um de seus conceitos antológicos é a questão da reatividade, ou melhor da ênfase de que nenhum Jogador deve sucumbir àquela, sob pena de estragar qualquer interação social. Don, talvez você não concorde, no entanto partindo de uma experiência empírica, pude comprovar (parece óbvio essa comprovação) que as pessoas que desenvolveram ao longo de suas vidas uma personalidade mais forte, e aqui me incluo nisso, estão em desvantagem no que diz respeito a “frear” os seus impulsos reativos. O máximo que elas conseguem é ocultar ou protelar por um tempo a sua reatividade em relação as coisas que elas desaprovam. (paciência é uma virtude realmente difícil de dominar)

Me permita tentar explicar melhor. Eu por exemplo, em um primeiro momento, consegui tornar latente minha impaciência com as atitudes de uma ex-namorada. Foi como se eu não estivesse sendo eu mesmo para agradá-la e assim poder engrenar a relação. Pois bem, eu consegui ainda conter minha reatividade por alguns outros momentos, contudo a minha máscara de Don Corleone caiu e se quebrou no chão, pois a minha personalidade aflorou de vez. E recebi como reação espantosa a seguinte resposta, quando fui uma única vez reativo: “nossa você não era assim”!!! (ser reativo desnecessariamente é uma coisa, engolir atitudes das pessoas que se desaprova apenas para agradar é o mesmo que ativar uma bomba relógio)

Em outras palavras, Don, a reflexão que quero incitar aqui, é: até que ponto pode ser saudável a gente esconder nossa verdadeira personalidade em prol da relação? (essa foi fácil: nunca!)

Até que ponto uma pessoa aguenta não ser reativa sem prejudicar o seu psicológico? (depende)

Será que uma hora a coisa não vai desandar? (da forma que me contou, certamente)

Será que a prerrogativa da “não reatividade” é apenas para o que são desprovidos de uma persona intensa? (com certeza para eles parece ser mais fácil, no entanto, aposto minhas fichas que sofrem em silêncio por não possuírem o dom da argumentação)

Há uma solução para isso? (sim, esse é o nosso negócio)

Ótima dúvida do nosso camarada.

Recebi por e-mail após escrever o artigo sobre ver as coisas de uma forma diferente e publicar o texto daquele autor global quanto à raiva.

(continuem mandando suas dúvidas rapaziada isso enriquece muito o meu trabalho)

Ele quer saber se a calma é uma qualidade que depende do horóscopo.

Veja bem jogador…

Não sei se isso vem com os nosso dna ou do alinhamento das estrelas quando nascemos (que boiolisse né).

Uma coisa é certa: ser impulsivo é sinal de falta de auto-controle, ou seja, uma fraqueza.

E não pense que sou um buda não. Por anos acreditei que gritar e falar alto era a melhor forma de ser respeitado. Definitivamente com o tempo percebi que mesmo quando estamos certos, existem maneiras diferentes de agir.

 

Imagine o sujeito de pavio curto.

Ele está manobrando o carro na garagem e percebe

que para sair, precisa esperar o outro.

Só que esse outro está conversando e não percebeu que tem alguém o esperando manobrar.

Ao invés do motorista 1 baixar o vidro e dizer tipo “psiu, ô camarada, pode dar uma licença aí pra eu passar??” , ele entende a demora como falta de respeito e fala indignado “ô cara, não tá me vendo não, eu sou invisível??”

Inicia-se uma pequena discussão simplesmente porquê ele viu desrespeito onde não existia.

(esse exemplo de fato aconteceu com um conhecido)

Não se trata de nunca reagir às atitudes dos outros, mas sim, saber como e quando fazê-lo.

 

Lembra do vídeo que publiquei sobre o Tom Cruise enfurecido com o repórter que jogou água no seu rosto?

Ali ele teve uma reação sim.

No entanto, ao invés de explodir, xingar, dar um murro, Cruise reagiu com elegância e esmagou o psicológico do engraçadinho.

Grandes líderes têm essa habilidade.

 

Como Nelson Mandela.

Durante toda a sua vida o líder africano sofreu provocações.

No início reagia como guerrilheiro contra a opressão que o governo impunha aos negros em seu país.

Ao ser solto depois de mais de duas décadas na cadeia, Mandela passou a lidar de forma diferente.

De um lado tinha o povo cheio de ódio pelos anos de injustiças ao quais haviam sido expostos. Não entendiam como ele no cargo mais alto (presidente), ao invés de se vingar dos brancos, buscava por direitos iguais a todos.

Do outro, a mídia e a alta sociedade, que duvidavam de suas boas intenções.

Para aqueles ele dizia “meus irmãos e irmãs… eu compartilho de sua dor… mas podemos mudar essa realidade… e apenas extendendo a mão ao nosso inimigo, daremos o exemplo…”

Para esses, “se eu não mudar… como esperar que as pessoas mudem também?”

 

Para cada situação= uma reação.

 

Outro dia a empresa de internet que contrato ficou de configurar meu roteador novo gratuitamente.

Chega no dia seguinte me ligam:

Sr. Thiago, houve um engano, como você já teve um roteador configurado pela empresa. esse agora será cobrado um valor de R$90.”

“Vocês pedem para eu levar até aí e me ligam só agora para cobrar?”

“É que houve uma falha na comunicação interna e alguém achou que era seu primeiro aparelho.”

“Pois é mais fui informado que seria de graça.”

“Qual o nome da pessoa que informou?” (num tom meio agressivo)

“Meu amigo, não tenho que saber o nome de ninguém. Ouçam a conversa gravada e saberão.”

“Agora… graças ao erro de vocês, vou  tomar o prejuízo de ter que pagar essa quantia absurda, ou de ir aí pegar de volta? E quem vai pagar minha gasolina? Porque o tempo que perdi ninguém vai me dar… É isso que vocês fazem com um cliente de 10 anos?”

Falei tudo isso com calma e firmeza.

Resultado: arrumaram de graça.

 

É questão de saber reagir e ter plenas noções dos seus direitos e princípios.

No caso do leitor que enviou a dúvida, ele aceitava comportamentos de sua namorada apenas para não arrumar confusão.

Achou que isso é ser ‘alfa’… a famosa não-reatividade que se diz no Pick Up.

Ceder um pouco é necessário quando estamos num relacionamento.

Mas certas cartas devem ser botadas na mesa. O respeito das pessoas se conquista assim, quando cortamos o mal pela raíz.

Nada de esconder sua personalidade.

Apenas saber expressar  o que se está sentindo, mesmo que seja através de atitudes e não de palavras.

É assim que um Jogador Caro joga.

Do contrário, perderá muitas namoradas e amigos, seja por não saber determinar  limites, seja por guardar desgostos e estourar igual a uma panela de pressão.

 

Abraço do DON

 

“…É que Deus fez a cabeça
Em cima do coração
Para que o sentimento não ultrapasse a razão…”

Zeca Pagodinho


Análise do JC: O que fazer com o cupido carente?

“Eu tenho uma grande amiga na faculdade que  me apresentou a uma amiga dela, e logo já começou a rolar um clima e tudo mais. (essa vai pra quem acha errado ter amizades femininas- https://omanualdojogadorcaro.wordpress.com/2011/11/11/pros-e-contras-de-ser-amigo-de-mulher/)

Passado um tempo nós ficamos e resolvemos sair algumas vezes juntose passamos a namorar (estamos já com 2 meses de namoro), até ai tudo certo nosso namoro é ótimo tem o apoio da família e dos amigos tanto por parte dela como da minha parte. (é legal ter esse apoio, mas se não rolasse também, que se exploda. Veja se isso impediu Romeu e Julieta)
Sábado que passou, eu tinha aula na faculdade o dia todo de uma matéria na qual faço sem essa minha amiga, à noite resolvemos sair com ela para fazer algo mais “light”, fomos então jogar poker na casa de um amigo, já tendo avisado que nós não iriamos ficar muito tempo devido ao cansaço que eu apresentava e de que minha namorada precisava acordar cedo no domingo para estudar (ela esta cursando direito, quase se formando), e por volta da 1:30 da manha resolvemos ir embora. (normal)
Segunda feira encontro com essa amiga da minha namorada na faculdade, como estudamos na mesma sala sempre sentamos juntos, ela sentou não falou nada e me ignorou a noite toda. (ih… começou) Como percebi isso fui tentar entender o que estava acontecendo e ela me disse que estava brava comigo e com a minha namorada porque saímos muito cedo e que agora com esse namoro ela não tem mais muito contato com a minha namorada, o engraçado que foi ela mesma que nos apresentou e apoio o nosso namoro. (só o que faltava, o que ela quer, entrar para o namoro também??? Olha que pode ser hein! 😉 

Ela não é contra apenas quer mais tempo com a minha namorada como antes quando ela estava solteira, elas passavam o finde todo juntas, mas as coisas mudaram agora e acredito que bate aquele ciúmes. 
Como eu devo proceder nessa situação Don?
Desde já agradeço o seu tempo por ler isso e aguardo uma resposta se possível. Obrigado.

Aí temos uma moeda com dois lados que merecem atenção.

Num deles estão você e sua namorada numa boa, numa nice, onde ambos devem grandes créditos desse romance ao cupido.

No outro está a garota, que juntou um casal e em troca disso perdeu o convívio com a amiga.

Como já vivi os dois lados dessa história acredito que tenho propriedade para falar.

É o seguinte…

O cupido deve ter bom-senso para entender que quando duas pessoas estão num relacionamento, uma passa a fazer parte da vida da outra. Isso toma tempo, energia, disposição, etc…

Mas nem por isso devem deixá-la 100% de lado.

Provavelmente a bronca não foi por causa do dia da sinuca. Ela já deve estar sentindo a ausência de sua namorada já há algum tempo.

E é sacanagem se isso está acontecendo, porque elas têm uma história juntas.

Amizade verdadeira muitas vezes tem mais valor do que relacionamentos amorosos de curto prazo (não que o de vocês necessariamente tenha).

Sem contar que ao que tudo indica, a garota está meio carente, sem um macho por perto.

Diante desses fatos:

 

1- manda sua namorada dar mais atenção para a garota

2- claro, estabeleça limites para os programas 

3- seja um bom Jogador Caro e apresenta uns amigos novos para ela né!!!!

 

Abraço do DON


Análise do JC= Indiretas ou DIRETAS?

“Então tenho uma duvida sobre comportamento feminino e acho que não teria ninguém melhor para me responder. (assim vou ficar convencido hein?!)

Estou enrolado com uma mulher a gente ficou uma vez e resolvemos manter contato, mando de vez enquando mensagem no celular as vezes ela responde, quando ela manda as vezes eu respondo ela também, por que creio eu que ela esteja ocupada como eu também estou para não responder, e quando ela não me responde também não fico enchendo o saco esperando uma resposta, pra mim respondeu bom, não respondeu também não fas diferença. (desde que não seja uma pergunta que foi enviada, está certo. Aliás, perguntas, quanto mais importantes, mais devem ser feitas por meio de telefone ou pessoalmente)

Às vezes quando ela ta online no face ela nunca puxa um assunto, creio que ela espera por minha atitude, as vezes quando puxo assunto ela me da um bom raport (sintonia), mas tem dia que parece que ela espera só eu entrar e puxar assunto pra me da um gelo e começar a descascar os homens postando coisas feministas ou que ela acha que vá fazer um efeito tipo : “” Não é ser fria, é ser cuidadosa. Não é ser grossa, é falar a verdade. Não é ser metida, é ter amor próprio. Não é ser difícil, é ser seletiva. Você precisa ser mais franca e esperta. Tanto homem por ai querendo uma mulher interessante igual a você, e você ai perdendo tempo atrás desse menino? Acorda amiga, mulher precisa de homem, e homem precisa de mulher. Meninos só precisam de uma mãe e um playstation. ” (que agressiva hein?)

E eu simplesmente acho isso engraçado, no dia que ela coloco isso, tambem colocou varias outras coisas ai eu resolvi postar “”eu hem credo da ate medo kkkkkk !!!!!”” (mandou MUITO bem, usando humor e dando um chega pra lá) no mesmo minuto ela curtiu meu comentário e postou “” Agora eu posso sair xau pra quem fica “”….. (sentiu que não está lidando com um menino e sim um jogador).  mais um detalhe, meu computador fica ligado o dia todo fazendo download e aki em casa tem uma oficina onde eu ajudo meu tio, quando n tem nada pra fazer eu venho mexer um pouco ai eu abro o face esqueço aberto, o mesmo acontece as vezes quando vou para academia, ai ela entra acho que fica um bom tempo esperando eu puxar assunto, e eu não puxo por que nem em casa eu to….. (isso é um fato que pode estar acontecendo mas o que ela pensa ou não, é problema dela) Ah ela tem 23 e eu 19 ……


Bom valeu Don Brigadão !!!!!!!

Acho divertido esses comentários feministas.

Apesar de tentar mostrar uma aparente sabedoria sobre o jogo, na verdade provam que estão com a mente ocupada pensando em NÓS e tendo atingir alguém.

Deixa eu ver se entendi…

Vocês ficaram uma vez e só. Aí agora está esse contato meia boca, certo?

Não posso dizer com propriedade como é a vida amorosa dela.

Pode ser que já tem outro cara no lance, pode ser que ela esteja louca por um convite seu.

O negócio é ser objetivo jogador, pois é isso que somos.

Decide de uma vez se está afim de dar uns pegas de novo e faz um convite forte. Não por mensagens ou facebook, mas por telefone.

Afinal de contas, qual o motivo de manterem contato depois de uma ficada?

Talvez seja por isso que lhe chamou de menino indiretamente (caso tenha sido para você a pedida).

Por não ter feito mais nenhum movimento. Apenas blábláblá.

Ainda mais pela garota ser mais velha, ela quer atitude.

Aí fica a dica simples do MDJC: tome uma atitude mais segura e convida. Caso a garota se faça de difícil, deixa a poeira baixar, veja se ela vai tomar iniciativa para compensar… e depois de um tempo quem sabe, você vai e convida novamente, sem apego, numa boa, como se ela nem tivesse recusado na primeira vez.

Se ela topar, garota de sorte. Se não, invista seu tempo em outra que valha a pena.

 

Abraço do DON