Arquivo do mês: abril 2012

Os 4 inimigos do conhecimento sobre o jogo (MEDO)

Certa vez li um trecho muito interessante do livro de Carlos Castañeda – A Erva do Diabo – aonde o antropólogo conta sobre diversos ensinamentos que recebeu de um índio chamado Don Juan (não é o pegador).

 Naquela passagem tive conhecimento sobre os 4 inimigos do conhecimento e pude visualizar como eles agem na área amorosa. Eles podem surgir durante o processo de evolução daquele que pretende ser um Jogador Caro com as mulheres.
Aí vai mais uma pérola para O Manual do Jogador Caro rapaziada!

 

1- MEDO

 

Quando você ainda não teve muitas experiências com as mulheres, provavel que dê de frente com o inimigo chamado MEDO.

 

Medo de fixar um olhar…
Medo de puxar assunto…
Depois, medo do que vai dizer em seguida…
Medo do que ela pode pensar de você…
Medo de demonstrar interesse…
Medo de ganhar intimidade…
Medo de tocá-la…
Medo de beijá-la…
Medo de grudar nela, tirar suas roupas e fazer amor intensamente.

 

Esse inimigo pode surgir em diferentes níveis.
Desde receio, passando por ansiedade ou chegando até ao pavor.
Isso acontece no início, quando você se depara com certos desafios que antes desconhecia. Seja uma garota mau-humorada na balada; ficando apenas amigo de uma que lhe atraiu; estar interessado nela e seu amigo vai lá e pega antes de você; o final de algum relacionamento conturbado…

 

Diante do medo você tem apenas duas alternativas: age com coragem mesmo assim ou se encolhe na zona de conforto.
Neste caso, o sábio indigena afirma que
“Talvez se torne um tirano, ou um pobre homem apavorado e inofensivo; de qualquer forma, será um homem vencido. Seu primeiro inimigo terá posto fim a seus desejos.”

 

Note que no primeiro caso – o tirano – é aquele sujeito misógeno. Culpa todas as mulheres do mundo por suas falhas ou experiências desagradáveis que passou, determinado agora a vingar-se de todas, as usando sem dó nem piedade.
Já o segundo caso – apavorado e inofensivo – é o bonzinho com falta de atitude.

 

Se quiser chegar a níveis mais altos de habilidade e conhecimento, você deverá aprender a cada dia, independente se a situação lhe agradou ou não. Atitude é aquilo que move o J.C.
Então, com o tempo, o medo será afastado porque percebe-se que não há realmente algo a se temer.

 

Quando você corta o pé, instantaneamente seu cérebro ativa a sensação de dor. Ela não é prazerosa mas é um mecanismo perfeito para que seu organismo o avise que algo de errado aconteceu com seu corpo.
Mas depois que se vê o pequenino tamanho do corte, ficará mais tranquilo.
A dor talvez não suma 100%. Só que é bem mais controlada pela sua mente.

 

Assim existe o medo. Para alertar sobre a eminência de um perigo.
Quando o surfista entra pela primeira vez no mar, talvez fique com medo.
Quando o paraquedista dá seu primeiro salto, talvez fique com medo.
Quando você vai a primeira vez num brinquedo do parque de diversões, talvez fique com medo.

 

Isso é ótimo pois significa que o instinto está ligado à possíveis ameaças.
No entanto, garanto que quanto mais vezes eles enfrentam aquele tipo de situação, mais seguros, mais confiantes e mais habilidosos eles ficam.
Sabe por quê?

 

Porque passam a ver aquilo com mais CLAREZA.
E por incrível que pareça, esse é o segundo inimigo do conhecimento que explicarei no próximo artigo.
Fique atento!

 

Abraço do DON

Cativa-me (O Pequeno Príncipe)

Partilho com você um importante trecho do conto “O Pequeno Príncipe” que se enquadra em quase todas as categorias do MDJC.

Para dizer a verdade, nem lembro muito bem da história inteira, apenas sei que ela contém grandes lições.

E uma das maiores surge quando o galego curioso se depara com uma raposa.

Segue abaixo o diálogo entre eles:

Se tu queres um amigo, cativa-me!
Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto …
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:

– Ah ! Eu vou chorar.
– A culpa é tua, disse o principezinho, eu não te queria fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse …
– Quis, disse a raposa.
– Mas tu vais chorar ! disse o principezinho.
– Vou, disse a raposa.
– Então, não sais lucrando nada !
– Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.
Depois ela acrescentou:
– Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.
E voltou, então, à raposa:
– Adeus, disse ele…
– Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
– O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
– Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
– Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas

 Capiche Jogador?
Não?
Vem comigo!
 Aconteceu de a raposa falar para o Príncipe sobre “saber chegar”. Nas dinâmicas sociais chamamos isso de escalação social.
Ninguém gosta de ver seu espaço pessoal sendo invadido de uma hora para outra, ou de pessoas inconvenientes, que exageram ao puxar assunto, tipo, contam a vida toda em poucos segundos, nos enchem de perguntas, fazem comentários inoportunos, etc…
Depois de criar certa amizade com a raposa, o galego precisa partir e fica com peso na consciência, achando que estava agindo errado com sua nova amiga.
Veja por exemplo numa relação (curta ou duradoura) quando por qualquer motivo um dos dois ou até ambos decidem tomar rumos diferentes.
É comum sentir um sentimento de prejuízo, de ter perdido algo, até mesmo achar injustiça.
Mas esquecemos que o importante foram os momentos bons. Ninguém é dono de ninguém. Se não houveram falsas promessas ou falta de integridade, não há por que se achar vítima das circunstâncias a tentar levar o outro à algum sentimento de culpa.
A raposa faz menção à rosa que o Príncipe tinha forte apreço mas o menino ainda não entendia muito bem dessas coisas.
Em outras palavras ela afirma que são os pequenos momentos, aqueles espontâneos em que agimos sem receio ao criar laços de amizade ou de amor, que ficam eternizados na mente. Quando ninguém queria ganhar nada… apenas usufruir da companhia do outro.
Se você, jogador, pretende criar boas amizades e momentos incríveis com as mulheres, CATIVE.
Cative através do seu jeito, da sua energia, da sua curiosidade. Tenha algo a oferecer.
Respeitando e apreciando o espaço de cada um, você se tornará uma presença marcante na vida daqueles e daquelas que cruzarem o seu caminho. Sem jogos, sem manipulação. Apenas através da sua essência.
Abraço do DON

Perfil de um Jogador Caro: Will Smith

Meus amigos e minhas amigas!

Quero dizer que estou muito entusiasmado com o retorno que vocês têm me dado, de verdade!

Ontem o blog recebeu mais visitas do que eu podia esperar… e as consultorias estão bombando… venho recebendo diversas sugestões de artigos… e uma das coisas mais importantes: estão comentando cada vez mais nos artigos, o que enriquece o conteúdo.

E sei que isso é fruto do boca à boca, pois não estou divulgando o Manual do Jogador Caro em quase nenhum meio.

Obrigado pela consideração turma e se possível, continuem assim.

 

Hoje falarei sobre este sujeito que dentre todos trazidos ao MDJC, provavelmente é um dos que mais segue os princípios do Jogador Caro.

Seu nome é Will Smith.

 

Willard Smith poderia ser um desconhecido para nós.

Dizem que era bom estudante de família de classe média e tudo levava a crer que teria um emprego comum.

Não confunda comum com insignificante. Todos os serviços tem sua importância.

Alguém tem que projetar nossas moradias… alguém tem que construí-las…

Alguém tem que criar nossos equipamentos eletrônicos…  alguém os conserta … alguém tem que vendê-los. E por aí vai.

O crucial é perceber qual atividade combina mais com você e com suas habilidades. E Will arriscou logo cedo.

 

Começou a fazer sua música em forma de RAP.

Descolado, sempre comunicativo, rapidamente conheceu um bom DJ e juntos fizeram sucesso, lucrando bem num curto espaço de tempo.

Apenas com 20 anos de idade e já comprou uma mansão, jóias, tudo do bom e do melhor.

Mas como dinheiro na mão é vendaval, Will usufruiu mais do que devia, até que ficou quebrado.

Será que ele entrou em depressão? Caiu nas drogas por causa disso? No no…

 

Mais uma vez, provavelmente devido a ser bem relacionado com as pessoas, conheceu Benny Medina, que teve a ideia de fazer uma série humorística de TV baseada na vida de Smith. A história engraçada de um cara do subúrbio que se muda para a casa dos tios em Beverly Hills (a parte dos tios era ficticia).

Ao interpretar ele mesmo em “Um maluco no pedaço”, Will provou ter ótima presença de cena.

Bem-humorado, divertido, debochado e confiante, rapidamente recebeu propostas para o cinema.

A primeira vez que vi um trabalho dele eu ainda era moleque, no filme “Independence Day”.

Notei que aquele cara realmente tinha brilho.

Tanto é verdade que de lá para cá estreou dezenas de sucessos, chegando a um incrível recorde na história de Hollywood: 8 filmes consecutivos com bilheteria acima de 100 milhões de DÓLARES (aja talento!).

 

Como você já sabe, nenhuma personalidade é analisada aqui no MDJC apenas por seus prêmios e conquistas.

Will Smith sempre teve algo à mais.

 

Um dos poucos a conseguir obter sucesso nas 3 vertentes do show business – música, tv e cinema – é possuidor de uma personalidade cativante.

Ao ser entrevistado por Patrícia Poeta no Fantástico, expôs um de seus objetivos:

Talvez eu não consiga ter mais sucesso do que já tenho hoje… mas não se trata de dinheiro… eu quero mesmo é iluminar a vida das pessoas… ajudar… quero ser uma espécie de vírus do bem“.

 

Se você acha que ele estava apenas querendo pousar de bonzinho, não vai na isca não jogador!

Me lembro quando ganhou algum prêmio por sua música, na hora do discurso, chegou e disse algo do tipo “viu só? Eu faço meu rap e ganhei isso sem precisar matar ninguém nas minhas letras, falar apenas de drogas ou de como sou mulherengo“.

Foi uma dura resposta à imprensa e até mesmo ao movimento hip-hop, que julgavam suas letras positivas demais, diferente do restante daquela indústria musical.

 

Ainda falando sobre a entrevista do Fantástico, é muito interessante notar o jeito dele.

Mesmo sem entender português, quando Patrícia falava com a câmera, ele ficava ali, a observando, tentando decifrar a mensagem ou pelo menos sentir a energia do que ela estava a falar. Jogador caro que é, sempre observador.

Ele brinca com o cara que colocou mal o microfone e ainda dá um forte abraço no vendedor de frutas que o serviu.

Para alguém que ganha em média 50 milhões de reais por filme e tem o seu sucesso, uma humildade muito rara de se ver.

 

Não é à toa que seu perfil do facebook está na média de 50 milhões de curtidas (parece que esse número o persegue, notou?).

 

Will Smith, além de possuir uma carreira fantástica, é exemplo de simplicidade, energia positiva, sabedoria, talento, e sem dúvidas, nós aqui o consideramos um ótimo Jogador Caro!

Fiquem com esta bela compilação das melhores entrevistas dele (destaque sobre o funcionamento da lei da atração que comenta) e logo abaixo um pouco de suas rimas.

Abraço do DON

 


Jogador Caro= acima do bonzinho e do cafajeste (parte 2)

“Como atingir o nível acima do bonzinho e do cafajeste?

Digo que conhecendo bem a ambos.

(confira a parte 1 deste artigo)

Mas antes perceba que atualmente existe um condicionamento social para que homens e mulheres tenham os mesmos direitos e deveres.

 

Na parte 1 expliquei toda a trama. O papo de que mulheres eram injustiçadas, não tinham direto à quase nada, e depois de muitos gritos desesperados, conseguiram mudar a História. Só que essa luta passou do limite:

-quiseram os mesmos empregos que os homens

-praticar os mesmos esportes

-ter o mesmo estilo

-fazer as mesmas atividades

Fora que ser homem virou quase um pecado capital, um crime.

“Ui, tinha que ser homem!”

“Homens são todos iguais!”

Então ficou essa loucura absurda de ser igual a nós.

Mas mando um recado pra elas: VOCÊS NÃO SÃO!!!!!!!!!!!!!

Ou, na boa, tem algo de errado no meio das minhas pernas.

 

Todo esse tsunami cultural acabou arrancando as bolas dos machos, e como os genes ficam em constante mudança, gerações de homens com traços femininos nasceram (passividade, sentimentalismo, etc…), assim como mulheres com traços masculinos.

Nessa pegada que muitos ficaram bonzinhos demais.

Medo de puxar assunto, de dizer o que pensa, mostrar o que deseja, tomar iniciativas, e por aí vai.

A intenção do bonzinho é boa, mas o meio, ineficaz.

calma amiguinho, o tio Don te ajuda!

Basta saber que enquanto somos atraídos em geral pela beleza, elas são atraídas pelo nosso comportamento. Por isso que nos testam sutilmente ou até descaradamente.

Confiança, bom-humor, desapego… são diversas qualidades atraentes que já mostrei aqui.

Se você ficar sempre com ciúmes do que ela fala, de quem a olha, parecerá inseguro. Ligando muito para ela, carente. Ficando brabo demais quando ela erra, ou feliz demais quando te da alguma coisa, reativo. Tudo isso te faz perder a linha.

 

Agora.. ela tenta te causar ciúmes, você percebe, e não reage, apenas da risada. Ela toma atitudes que te desagradam, e você, ao invés de brigar e discutir ou guardar rancor, simplesmente chega e fala: olha aqui, sou contra essa tua atitude, por isso, isso, e aquilo. Se quiser continuar assim, não vai dar liga.

PRONTO. FIM DE PAPO. Ok, ouça o ponto de vista dela, mas não ceda contra teus princípios. Esse é o comportamento de um cara que impões limites, barreiras para aqueles que convivem com ele. Tanto faz se forem mulheres ou camaradas. Respeite-se para ser respeitado parceiro, isso é poder.

Aviso que ojogador de verdade consegue observar exatamente o que a mulher precisa. Para isso analisa a linguagem corporal e o que ela fala. Quando ela diz no telefone “não sei se devemos sair hoje, já é meio tarde né?”. Na verdade muitas vezes ela espera ouvir  “tarde nada linda, anda te arruma rápido que tal hora estou passando aí, beijão”. Enquanto outros são passivos, o J.C. toma atitude.

 

Eu diria que o cafajeste tem mais sucesso por possuir tais qualidades: energia sexual, presença\ausência (desapego), forte auto-estima, é selecionado por diversas garotas, não-reatividade, dominâcia.

Mas ele pode apresentar dois problemas: a gata especial desiste dele por não ser levada muito a sério; ou como quer sempre ser “o garanhão”, às vezes deixa de agir naturalmente apenas para conseguir mais outra conquista, mentindo, manipulando, com total falta de consideração com a menina.

Lembram de Ashton Kutcher em “jogando com o prazer”?

Ele é o exemplo perfeito de um cafajeste manipulador que conhece bem o sexo feminino, mas sofre os problemas acima (falta de conteúdo para se relacionar, etc…)

 

Já o bonzinho age de acordo com alguns filmes românticos. Conhece a gata, tenta ser legal, ouve incansavelmente os problemas dela, elogia demais, concorda com tudo. Ele oferece total carinho e atenção. Falta habilidade em demonstrar seu verdadeiro DESEJO (já para o cafajeste é fácil).

Isso me leva a informá-los que tudo que na maioria dos casos ela quer é ver atitude, sentir a possibilidade de ser amada, protegida e desejada. Esse é um segredo das mulheres.

Quando você a trata bem e da CERTA dose de atenção, mostra a possibilidade de amor. Quando tens um bom emprego (ou se dedica a alcançar um), situação financeira tranquila, mostra capacidade de proteção. Quando sabe provocar sexualmente, mostra segurança na masculinidade.

A habilidade está em demonstrar esses atributos de forma equilibrada. Até mesmo ao namorar ou casar, não exagere nessas coisas ou vai tomar um pé na bunda. Faça-a receber por merecimento, assim como o cachorro que só ganha biscoito quando obedece ao dono (pode ser feia tal comparação, mas também somos animais, e diversas técnicas de adestramento são aplicadas aos seres humanos).

 

Chamarei a atenção para a REATIVIDADE.

Devemos controlar nossos impulsos para que eles não nos controlem. A ferramenta para isso é a mente. Quando você sentir certa provocação da gata, saiba responder de boa. Evite levar para o lado pessoal. Garanto que muitas garotas parecem chatas num primeiro contato, mas se você se sair bem na desenvoltura elas acabam beijando seus pés.

Essa é uma característica comum aos Jogadores Caros, a habilidade em não agir por impulso.

Agindo não-reativamente, as pessoas ficam impossibilitadas de preverem sua reação. Você te torna misterioso. Anti-manipulável. Um poderoso chefão de si mesmo e de sua realidade.

Se uma garota qualquer te provoca sensualmente e você não fica babando total…. ou quando ela tenta fazer joguinhos infantis e não fica brabo, mas sabe agir ou expor tua opinião sobre isso… aos poucos vai subindo no conceito dela. Provavelmente tens diversos amigos e mulheres que adoram sua companhia (deixe isso claro sempre!), e caso ela fique com essas atitudes ridículas, manda vazar na mesma hora!

Fale o que pensa e aja de acordo com seu instinto masculino.

Então, ela dará mais valor para sua atenção, sua presença… te dará carinho, sexo de boa qualidade, e piscará sempre no seu celular, pois você nunca precisou enganá-la como um cafajeste sem princípios ou não teve a falta de atitude do bonzinho.

Ela percebe simplesmente que se envolveu com um JOGADOR CARO.

 

Abraço do DON


Jogador Caro: acima do bonzinho e do cafajeste (parte 1)

Como é que é rapaziada!!??

A maioria dos leitores já tem noção de que várias características do JC pode ser atraentes à mulherada. Sua linguagem corporal, confiança, boa aparência (em geral), etc..

Contudo, a coisa não para no primeiro beijo. Apenas começa.

Quando se pega uma gata que faz nossa cabeça, a tendência é querer repetir a dose. Talvez várias vezes ainda.

Sempre tive uma grande dúvida: por que muitas mulheres que pegamos e não damos bola direito ficam praticamente APAIXONADAS? Entretanto, outras que nos atraem mais, que vemos até como futuras namoradas, e resolvemos retribuir todos os seus gestos carinhosos, acabam nos dando um PÉ NA BUNDA?????

(Claro… existem casos em que o destino conspira para tudo fluir naturalmente e é maravilhoso quando acontece)

Mas é comum demais acontecer o que citei acima.

Depois de passar por diversas experiências, observar centenas de casos de leitores e trocar ideia com muitos camaradas, acredito ter encontrado uma explicação.

 

Existe aquele sujeito que possue muita facilidade em brincar com os sentimentos femininos.

É tão desapegado, tão habilidoso socialmente e vive num sentimento de abundância de mulheres, que acaba exalando confiança o tempo todo. E como sabemos, confiança é um afrodisíaco.

Além do mais, por saber se comunicar com excelência em nível emocional, facilmente as ilude, as envolve, não dando a mínima se ficarem apaixonadas e criarem expectativas.

É o perfil do famoso cafajeste. O típico cara que tem muitas mulheres e poucos princípios.

Sua habilidade na cama e na lábia,somada a posterior ausência, acaba gerando um conflito de emoções na mulher, muitas vezes, a seduzindo (nosso querido puxa-empurra).

O problema nesses casos é que mais cedo ou mais tarde ela começa a cobrá-lo, ter ciúmes, ataques, perseguir, até ficar depressiva.. assim deixando de ser atraente para ele. Depois disso, ao ser rejeitada, fala mal para várias amigas do canalha.

 

Por isso sou a favor de um nível acima do cafajeste e do bonzinho.

Nada contra quem quer apenas pegar uma aqui, outra ali. Já dizia o ditado: “Enquanto não se encontrar a certa, divirta-se com as erradas“.

Apenas considero Jogador barato aquele que mente, age com falsidade, apenas para obter algo da garota. Caras assim são uma farsa! Provavelmente são amigos falsos também, péssimos filhos, e por aí vai.

 

Agora o caso do bonzinho:

O cara vai e encontra essa mais sedutora do que as outras, mais interessante, mais compatível com ele e é aí que o jogo complica.

Provavelmente nosso amigo não vai querer deixá-la escapar e isso pode gerar uma preocupação com resultado.

Então, sutilmente, ele começa a demonstrar tal pretensão.

A cada gesto carinhoso dela, ele retribuí. Ela liga, ele liga. Ela fica num tralálá no facebook, ele também. Ela diz que não quer mais ninguém, ele também. Tudo parece “natural”. Simplemente ele não consegue quebrar o rapport com ela (este é um dos tópicos abordados no curso MDJC).

Deixa os amigos de lado… suas opiniões (por não querer contraria-la)… seu esporte… sua vida…

 Sem perceber ele já está dando muito mais do que deveria e quando menos se espera, perdeu mané, ela já quer outro.

A maioria delas te testa parceiro, mesmo que inconscientemente. Apesar de serem atitudes lógicas as referidas acima, não podemos esquecer que de lógica elas não tem quase nada, e sim, EMOÇÃO!!

É muito fácil para o homem ficar hipnotizado pela beleza, carinho, delicadeza e sexo.

Mas quando ele se APEGA a essas coisas, podem ser tomadas atitudes precipitadas, como:

 

-demonstrar intenção de compromisso antes dela realmente fazer por merecer

-ficar com ciúmes infantis e inseguros

-cobrar demais retorno de ligação, internet, atenção

-discutir com raciocínios lógicos atitudes erradas dela

-ficar brabo\chateado quando ela não retribui teus gestos

 

Por isso, a gata perde o encanto, o desafio, pois você ficou bonzinho demais e chato ao mesmo tempo.

Isso que estou a falar do bonzinho que conseguiu pegar, porque tem aquele que nem isso alcança.

Escuta os problemas dela… histórias sobre outros caras… papos femininos… fica ali… um amiguxo, sempre legal, mas com desejo reprimido.

Me diz cara, por que se empenhar tanto em apenas AGRADAR? Você acha mesmo que atração está ligada a agrado?

Tanto o cafajeste quanto o bonzinho agem de forma egocêntrica, usando de diferentes meios para conseguir ganhar algo dela. Este ganha ou uma amiga ou um pé na bunda… aquele obtém apenas resultados superficiais por não ter conteúdo verdadeiro.

 

A saída é  ter algumas qualidades alfas do cafajeste e no fundo a genuína vontade de conquistá-la do bonzinho.

Eu sei que parece complicado, mas não é!

Em breve a parte 2, sobre o nível acima dos tipos abordados hoje.
abraço do DON e lembre-se de deixar sua opinião!

Como é seu desempenho?

Antes de iniciar o artigo de hoje quero mandar um forte abraço aos Jogadores que vêm acompanhando o MDJC de fora do Brasil.

Não sei se são brasileiros que por lá vivem… ou gringos mesmo traduzindo a página.

Nos Estados Unidos temos grande visualização- Thanks for your attention my friends!

Na Europa a galera tem espiado também, principalmente Portugal, por isso eu digo estamos lado a lado de facto, muito fixe poder contar com vocês gajos!

Até pelo Japão viemos tendo vários acessos, portanto, 世界の反対側にあなたと話すために光栄です

Fora outros como Moçambique, Angola, e claro, em nossa própria terra, muito obrigado a todos vocês que fazem  meu trabalho crescer à cada dia!

DESEMPENHO

A primeira vez que ouvi essa expressão foi na escola.

Em algumas matérias eu tinha mais habilidade, facilidade em aprender e gosto por estudar. Noutras, nem tanto, tipo física e química.

De qualquer jeito o objetivo era ter no geral um DESEMPENHO acima da média para ser aprovado.

Tal substantivo também é aplicado em outras áreas da nossa vida, desde profissional, amorosa, social, até no esporte, etc…

Considero importantíssimo estar ciente disso e explico por quê:

Imagine que você vai comprar pão na padaria mas está com a boca anestesiada depois de uma consulta ao dentista.

Sua fala está prejudicada. Na verdade, está PÉSSIMA. 

Contudo, você olha para a atendente, aponta para os pães e faz o sinal de 5.

Ela entende, te entrega, você paga no caixa e sai feliz.

Mesmo sem falar nada, o objetivo foi alcançado.

Não importou a falta de habilidade ou o impedimento em verbalizar, você deu conta do recado.

Nesse caso foi até um desempenho nota 10.

Note que você poderia ter desistido de ir porque não conseguia falar nada.

Ou ainda ficar reclamando depois, tipo “ah que saco não mandei bem, fiquei lá fazendo sinais que nem um boboca“.

Muitos perdem o foco na intenção e se apegam ao perfeccionismo, o que possivelmente traz pensamentos limitantes.

A palavra que esclarece o desempenho se chama DEMANDA.

O que a situação exige de você.

Se um jogador de futebol chuta a bola toda torta e ela entra no gol, é GOL!

Se um surfista não faz manobras inovadoras mas mesmo assim surfa de acordo com o critério dos campeonatos, ele receberá uma boa nota.

Se você fizer um discurso gaguejando mas conseguir passar a mensagem, vitória.

Agora passo o conceito para ajudar na sua evolução:

O desempenho na verdade é o conjunto de suas habilidades e limitações numa atividade.

Caso eu discursasse com extrema calma, irreverência e bom-humor, meu desempenho teria sido melhor do que o seu, pois ainda lhe faltaria desenvolver mais a habilidade da oratória.

Seu desempenho foi bom, deu conta do recado. Mas o meu foi excelente.

No próximo artigo falarei sobre o desempenho na sedução.

Abraço do DON


Lições de Jogadores Caros

Como de praxe, recebi grande contribuição de um leitor do MDJC, o D`Artagnan, sobre este vídeo em que um muleke dá aula sobre ser Jogador Caro ao atual apresentador do programa CQC, Marcelo Tas.

Confira>

 

Foi só eu que senti a ESTILEIRA do garoto???

“vai lá basta ser você mesmo”

“fica solto” (engraçada essa porque aqui em Floripa também se fala)

A chave da confiança é essa, se gostar, saber do seu valor e ser feliz.

Ele mesmo disse que a coisa mais linda é a vida, ter saúde.

Parabés para o Alexandre mandou MUITO BEM há quase 30 anos atrás.

 

Estava eu agora pouco almoçando com meu tio, Don Pedro.

O cara é jogador caríssimo!

Sempre com um sorriso relaxado no rosto, se movendo com calma, falando tranquilamente.

Qualquer pessoa que conversa com ele sente-se bem pois recebe bastante atenção, fora que Don Pedro não pensa duas vezes antes de te lançar um elogio.

Sua energia é interessante. Um cara que tem paixões na vida, gosta de arte, de fotos, de viajar. Ele oferece essa alegria para quem passa pelo seu caminho.

 

Então veio o papo sobre aquelas pessoas deselegantes que te criticam de graça, dizendo que tu está muito magro, que engordou, que isso e aquilo.

Gente que perde a oportunidade de ficar quieto, no caso.

Rapidamente perguntei a ele como se responde nessas situações e foi isso que me falou:

“Olha Thiago… pra te falar a verdade… eu nem respondo nada. Nem consigo pensar em alguma resposta. Deixo assim. Gosto de mim em primeiro lugar, me amo e isso é o que importa. Se o outro não gosta do meu nariz ou do meu cavanhaque, fazer o quê? Apensa dou um sorriso.

Essas são algumas lições poderosas que o Manual tem para você hoje.

 

Apenas para completar o artigo: já ouviu falar de frame? Que projetamos aquilo que sentimos e pensamos?

Basta clicar aqui jogador!

 

Abraço do DON

 

 


Análise do Jogador Caro: “só eu invisto na relação”

“Tenho 14 anos e estou com um problema.

Minha namorada cara ela tem 15 anos, nos conhecemos na escola, emprestei um livro pra ela teve uma troca de olhar ae depois pedi o msn.

Fomos nos conhecendo e hoje estamos namorando (legal, jogo natural). 

Mas sei lá cara , acho que ela ta estranha. Não liga pra mim nem manda
sms quem sempre tem que fazer isso sou eu, ela nunca faz (complicou). Nós dependemos do colegio pra se ver (ué não pode combinar de ir ao cinema, tomar sorvete ou ir na sua casa?) e no intervalo ela só fica com as amigas. Tem vez que passa por mim nem olha para minha cara mas quando esta comigo é um doce de pessoa (complicou mais) . Será que ela ta fazendo puxa empurra comigo? (acho que não)

Ela é meio timida  por  isso que não vem falar comigo. Só fica me
olhando de longe e eu sempre tenho que tomar as iniciativas tipo, po
acontece que sou meio timido também. (será que vocês combinam mesmo?)

Mas aos poucos eu to deixando isso de lado. Por incrível que pareça me falta assunto tem vez que fica naquele silêncio constrangedor quando estou com ela e as amigas. (porque falta assunto só para ti? Acho que ela poderia mostrar mais interesse na conversa também)
Até quando estamos juntos só eu e ela acontece isso cara! Me da uma
dica ae quando estamos juntos eu devo conversa sobre o quê? (sei lá jogador fala sobre a bolsa de valores!) 

Vou te passa as caracteristicas dela : ela anda sempre de bom humor
sorriso no rosto,é simpatica, meio timida ,ela não é a do tipo bitch! Porque
essas não são os alvos dos JC , é mulher de verdade (gostei de ver!).

Nós temos pouco tempo namorando, uns 3 meses , ainda não ganhei muita intimidade com ela, tipo pra falar sobre assuntos mais quentes. Entende, me da umas dicas de como ganhar mais intimidade com minha namorada? (abaixo darei)

E isso que te falei deve ser o quê , de ela não olhar pra mim sempre , não ligar nem mandar sms, não vim falar comigo. O que tu acha que isso é  jogador? (mau sinal)

abração ae Don fica com Deus,
e muito obrigado por esse blog fascinante, o manual do jogador caro.
e que Deus ilumine seus caminhos. (obrigado, igualmente)

 

Citando Jack o Estripador, vamos por partes.

Vocês se conheceram e começaram a namorar. PAUSA.

Tiveram um lance ou um namoro?

Porque o namoro é o compromisso firmado entre as partes…

Chegaram a conversar sobre isso? Sobre como estava a relação e o que os dois queriam?

 

Sabe jovem jogador, quando não estamos gostando de uma atitude ou outra da pessoa, devemos chegar e falar na moral.

Só que pelo visto são várias atitudes dela que te desagradam (ou a falta de certas atitudes).

Acho que puxar assunto, telefonar, mandar sms, são formas comuns de mostrar interesse. Ou seja, ela parece bem desinteressada pelo o que me falou. Tanto que é errado se preocupar em sustentar a conversa. Os dois tem esse dever e não apenas você.

Já que me pediu dicas para ter um papo interessante, aqui está= https://omanualdojogadorcaro.wordpress.com/2011/12/13/como-ter-uma-conversa-interessante/

Até entenderia o fato dela não querer ficar junto na escola, mas apenas se isso fosse um mero romance e não um namoro.

 

Sobre a intimidade é o seguinte, você vai criando aos poucos, com beijos mais intensos, carinho aqui, ali, uma pegada mais forte, cada vez avançando mais.

Você só vai descobrir mesmo na prática.

É sempre bom tocar em assuntos sobre sexo (sem parecer necessitado) para mostrar que fica à vontade em falar sobre isso, passando segurança.

 

Te aconselho a trocar uma ideia sadia com ela falando tudo que está pensando e sentindo.

É como sempre falo, melhor ser cortado pela verdade do que viver numa mentira.

Na pior das hipóteses, desencana e parte pra próxima garoto! Afinal de contas, qual a graça numa garota que não te procura, não interage direito e fica de histórinha?

 

Abraço do DON


Mau exemplo de liderança

Quem acompanha o MDJC sabe que estou sempre chamando a atenção para tomar cuidado em julgar atitudes alheias. Tipo ficar condenando verbalmente sem motivo qualquer.

Mas ter uma OPINIÃO é diferente, primordial, ou acabamos sendo aquele tipo de gente “maria vai com as outras”, sempre em cima do muro. Tenho aversão à pessoas assim.

É nessa pegada que escrevo os artigos do blog. Analisando experiências e conceitos sobre o comportamento humano com o único objetivo: ampliar nosso nível de consciência (conhecimento).

Hoje falo sobre o péssimo exemplo de liderança que constatei semana passada num episódio do programa “The Ultimate Fighter Brasil“.

Antes que algum leitor venha entrar no mérito do esporte, já vou avisando que não é esse o intuito do presente texto.

Para quem está por fora do programa, resumo:

É um reality show com duas equipes de lutadores que se enfrentam.

Uma é liderada por Vitor Belfort e a outra por Wanderlei Silva.

Para falar a verdade, não sou grande fã dessas lutas e nem sei exatamente qual a premiação. Me parece o lutador que chegar mais longe ganha vaga para o campeonato mundial de UFC, além de outras coisas.

 

Após a equipe azul perder sua segunda luta consecutiva, o treinador principal – Wanderlei – mostrou como não se lidera pessoas.

Foi tomado por energia negativa.

Culpou o rapaz derrotado por ter ficado com medo da “cara de mau” do adversário;

Falou às câmeras que se pudesse entrar lá no lugar do garoto e lutar, entraria, mas que não é permitido (eu eu eu);

Na mesma energia outro treinador da equipe o acusou de lutar mal, que foi uma m****, e por aí vai.

Resultado?

Baixa auto-estima geral na equipe e o garoto aos prantos, sem nenhuma fé no próprio potencial.

(link da matéria> http://globoesporte.globo.com/lutas/tuf-brasil/noticia/2012/04/daniel-sarafian-vence-renee-forte-na-1-luta-entre-os-medios-do-tuf-brasil.html)

 

Faltou ao experiente lutador a noção de que verdadeiros líderes surgem frente às ADVERSIDADES.

 

Comemorar vitórias é fácil.

Apertar a mão, dar um abraço, elogiar… que dificuldade há nesse momento?

Agora, saber levantar a cabeça dos seus liderados nas horas difíceis e tirar proveito mesmo da derrota, isso não é para qualquer um.

Parte da magia dos esportes é aquilo que nos ensina para a vida.

Vencer, perder… tudo faz parte.

Se o garoto foi derrotado na luta, é porque treinou menos ou precisa desenvolver mais habilidades.

E caso tenha sido por um simples erro?

Errou por não estar preparado 100%.

Agora ele tem a oportunidade de analisar os pontos que falhou, trabalhar em cima.

 

Acontece que provavelmente o treinador está tendo o seguinte pensamento:

É minha equipe, meu nome em jogo. Se eles perderem, eu perco. Perderei credibilidade com o público, com a mídia, com meus patrocinadores. Não é possível!!! Que saco!!! Que raiva!!! Se eu pudesse lutar no lugar dele, eu lutaria!”

Olha o individualismo e o egocentrismo atrapalhando mais um cidadão aí.

 

Já na semana seguinte (último domingo), tivemos uma episódio semelhante no programa, entretanto, com outro desfecho.

Novamente a equipe azul perdeu a luta. A diferença foi a atitude do derrotado.

Mesmo com o resultado controverso (a maioria foi contra a decisão dos juízes pois ele merecia ter vencido), o garoto se manteve calmo, tranquilo, sem lamentações.

Ao falar para sua equipe, disse apenas que não culpava ninguém pela derrota, nem ele mesmo, nem os companheiros, nem o treinador e nem os juízes. Disse que perder faz parte do jogo e a vida continua.

Infelizmente não encontrei esse vídeo para mostrar a você, mas foi LINDO ver a cara do Wanderlei ouvindo o breve discurso. Ele ficou de boca aberta com a sabedoria e a não-reatividade de seu pupilo. O vencido na verdade fez o papel de líder no final das contas.

(http://globoesporte.globo.com/lutas/tuf-brasil/noticia/2012/04/rodrigo-damm-bate-john-macapa-e-abre-3-0-para-time-de-vitor-belfort.html)

 

Jogadores Caros crescem diante das piores situações. É aí que podem surgir os sentimentos mais íntregros.

Veja uma família que se une para ajudar um ente com problemas de drogas…

A forma como o Brasil saiu junto às ruas para o impeachment do ex-presidente Collor…

Um país que desperta compaixão e solidariedade depois de sofrer alguma catástrofe natural…

A união que aflora diante desses acontecimentos é fantástica e o ser humano ainda tem dificuldade em perceber isso.

Fico contente em ver filmes tipo “Treinador Carter”, “Sociedade dos Poetas Mortos” e “Alfie”, onde o diretor deixa de lado aqueles finais embalados com vitórias superficiais tocando a música we are the champions e dá chance para percebermos que a humildade e a sabedoria entram em cena nos momentos mais difíceis.

 

Todo negativo é positivo. As coisas ruins que me acontecem, de alguma forma transformo em boas. Isso significa que não há nada que possam fazer para me atingir.

5o cent

 

 

 

Abraço do DON

 

 

 

 

 


Parábola: O quarto escuro

Aí está a lanterninha das categorias: Parábolas

Prefiro pensar que ela ficou em último na votação por ser a mais recente apresentada aqui no Manual.

Também porquê – convenhamos – as outras são fortes concorrentes!

Simplesmente amo esse lance de histórias milenares que dão grandes lições para nós, encaixando-se em diversas situações do cotidiano.

E hoje apresento a você uma simples, porém, importante parábola.
 

O QUARTO ESCURO

Um jovem vivia dentro de determinado quarto, escuro, gelado e sombrio. 

Seu sonho era ver tudo aquilo ao seu redor iluminado.

Rezava todo dia para que a luz chegasse em sua vida, tendo certeza absoluta que estava preparado para aquilo que mais desejava.

No entanto, quando finalmente a eletricidade surgiu, o espanto e o medo tomaram conta dele.

O brilho da lâmpada desvendou teias de aranha nos cantos do quarto…. poeira… rachaduras e sujeira.

Aquilo o deixou muito frustrado. Simplesmente não queria ver a realidade agora tão nítida.

O que fez então?

Desligou a luz e voltou a viver na sua aconchegante escuridão.

 

É possível que isso aconteça a partir do momento em que começamos a olhar para nós mesmos, para nossas atitudes.

Quando finalmente paramos de falar mal da vida alheia e refletimos sobre nosso próprio nariz.

Reflexões podem vir depois que alguém nos joga na cara algo que temos feito de errado…

Ao perder um ente querido…

Após o término de uma relação…

Até mesmo se por alguma circunstância quase perdemos nossa vida.

E isso é ÓTIMO!!

 

Todos esses acontecimentos que aparentemente são horríveis à primeira vista podem ser maravilhosos do ponto de vista da evolução pessoal.

Independente se você meu camarada passou por tais adversidades ou se resolveu por conta própria crescer como pessoa, procurar mais poder pessoal, o lance é ser corajoso.

 

SE JOGA DE CABEÇA JOGADOR!!!!

Não seja negligente com sua vida.

Hoje você tem 17 anos, amanhã terá 27. Basta um espirro e  já serão 37. Uma bebedeira e na ressaca completará 47.

É hora de ser sincero consigo mesmo e ver quais aspectos da sua personalidade estão te limitando.

Quais são seus medos? Suas inseguranças?

Quem exatamente você quer ser? Um escravo do consumismo, do pânico que a mídia passa para nos controlar ou o Senhor da Sua Realidade?

Saia já da zona de conforto e lide com isso tudo.

 

Pare de ter pena de si mesmo. Deixe o passado ficar no passado. Ou esqueceu da inutilidade do arrependimento?

Temos o dom do raciocínio lógico para aprender com as experiências. Aliás, não existem experiências boas e ruins. Existem apenas experiências.

Lembre-se de estar aberto para novas opiniões, curioso como uma criança, SEMPRE. Isso é sabedoria.

 

Quero de verdade que você assimile aquilo que venho passando nesses 6 meses através do blog de acordo com a SUA realidade.

Não tenho a pretensão que siga os mesmos passos que eu ou faça exatamente tudo que falo.

Apenas encontre seu caminho. Existe um poder latente de cada um esperando apenas por espontaneidade e criatividade para vir à tona.

E aí, posso confiar em você Jogador Caro?

Ou vai preferir desligar a luz e viver nas ilusões de seu quarto escuro?

 

Abraço do DON