Arquivo do mês: março 2012

O policial bonzinho e o malvado

Buenas!

Se você é um amante dos filmes assim como eu, talvez tenha notado o que irei falar.

Tanto faz se é comédia, drama, suspense – ou na maioria dos casos, policial – volta e meia aparecem dois parceiros que fazem o jogo emocional do “policial bonzinho e o malvado” ao interrogar um suspeito de crime. É um dos truques mais manjados!

Mesmo se não entender inglês, confira esta cena do filme “A Pantera cor de rosa”:

Como falei, muitos fazem até piada desse comportamento.

Perceba nesta cena então de um seriado que sou fã de carteirinha, “A Escuta”, quando os dois combinam tal jogada, mas depois de um deles ser provocado pelo suspeito, acaba perdendo a pose:

Piadas à parte, essa jogada também acontece fora das telinhas e dá muito resultado.

E o melhor de tudo é que podemos usá-la mesmo sem sermos policiais interrogando suspeitos de crimes, mas sim, na nossa vida social e amorosa!

Vem comigo…

 

Quando ele banca o “mau”, podem notar que o suspeito fica mais retraído, desconfiado, por vezes, medroso.

Ao chegar o “bonzinho” oferecendo cigarro, soltando as algemas, falando num tom mais manso e acolhedor, pode ser que o suspeito fique mais à vontade… assim possibilitando uma explicação melhor sobre o ocorrido.

É uma montanha russa de emoções.

“Mas por quê isso pode dar certo Don?”

A psicologia explica* que temos a perspectiva natural de sermos acolhidos pelas pessoas ou grupos que trombamos no nosso dia-a-dia.

Provavelmente pelo ser humano ter características sociais, como diversos outros animais, tipo abelhas, gorilas, formigas. Tanto nós como eles vivemos em sociedades distintas.

Acontece que por vezes seremos de certa forma “rejeitados”.

Pode ser ao sorrir para alguém, puxar assunto, não importa. A rejeição fará parte de sua vida mais cedo ou mais tarde.

É bem por esse motivo que o comportamento “bonzinho e mau” surte grande efeito.

A pessoa sente-se rejeitada por você ter sido um pouco grosseiro, sem afeto, sarcástico ou desinteressado.

Se em seguida outro sujeito ou você mesmo vier de forma mais aberta, compreensível, atenciosa e gentil, surtirá muito mais efeito do que se tivesse agido assim desde o início.

 

Rejeição/Acolhimento.

Por isso existe no Pick Up a postura “puxa-empurra”. É a jogada preferida de algumas garotas manipuladoras para que tenham o universo masculino aos seus pés.

Mostram interesse e desinteresse, interesse e desinteresse, até os caras entrarem num inferno psicológico, ficarem apaixonadinhos, e as dondocas terem seu pequenino ego massageado, podendo assim dormir em paz.

 

A sugestão que pretendo dar com esse texto a você é a seguinte: (são três na verdade)

1- Ao estar num processo de aproximação amorosa ou até num relacionamento, não seja bonzinho o tempo todo e tampouco malvado , como diria Nessahan Alita. Procure ser sincero com o que está sentindo e por vezes provocativo, ao invés de apenas querer agradar.

2- Da mesma forma, evite ser acolhedor demais com qualquer um que cruzar o seu caminho. A maioria te desrespeitará mais cedo ou mais tarde por oferecer sua amizade assim tão facilmente.

3- Repense sobre o que é ser rejeitado. Seu ego/impulso natural pode entender uma coisa… mas se você sabe bem do seu valor (auto-estima), não será uma conversa não correspondida ou um rompimento de namoro que irá te abalar. Nossa companhia é um presente que oferecemos e azar de quem não aceitar esse presente.

 

Abraço do DON!

*os conceitos da psicologia foram retirados da aula “Habilidades sociais”, com o prof. Silvio Serafim da Luz Filho, Dr., disciplina “Relações humanas”, a qual estou cursando no momento na Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC


Parábola: “Da união”

“Um membro de um determinado grupo, sem nenhum aviso deixou de participar.

 

Após algumas semanas, o líder do grupo decidiu visitá-lo. Era uma noite de inverno muito fria, e o líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante de uma lareira.

Supondo a razão da visita, o homem deu-lhe boas vindas e o convidou para entrar. Sentaram-se os dois em frente a lareira, e permanecerem ali, contemplando a dança das chamas em silêncio.

Após alguns minutos, o líder examinou as brasas e, cuidadosamente, apanhou a mais ardente delas e deixou-a de lado. Então voltou a sentar-se e permaneceu silencioso e imóvel. O anfitrião prestou atenção a tudo, fascinado e quieto.

Então a chama da brasa solitária começou a diminuir, houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou. Logo estava fria e morta.

Nenhuma palavra havia sido dita desde o cumprimento inicial. O líder, se preparando para sair, recolheu a brasa fria e solitária e a colocou novamente no meio do fogo. Imediatamente começou a incandescer uma vez mais com o calor e a luz das brasas que a cercavam.

Quando o líder alcançou a porta para sair, o anfitrião disse-lhe:

– Obrigado tanto por sua visita quanto pelo sermão. Estou de volta ao convívio do grupo.”

 

Curto essa parábola pelo fato dela me lembrar que a união faz a força.

Assim como aquele filme, “Na natureza selvagem”, quando o garoto se revolta com a sociedade e vai se descobrir no Alaska… certa hora, em meio a solidão, ele escreve a seguinte frase: felicidade só é verdadeira quando compartilhada.

Compartilhe sua vida!

 

abraço do DON


Análise do JC: “Por que ela está estranha?”

Carta do leitor:

“Há três meses venho namorando com essa garota que não demorou muito virou paixonite. É isso mesmo, uma paixonite séria que não deu para evitar. (talvez esteja usando o termo errado. Paixonite é uma paixão que não é correspondida. Veremos…)
Ficamos durante um mês mais ou menos até eu pedi-la em namoro – falei até com o pai dela – desde então estamos vivendo esse “sonho”.


Não sei se foi rápido ou não, mas com um mês de namoro a gente já disse “eu te amo” um para o outro, fazemos amor quase que todos os dias, tenho aprendido tudo sobre ela – até o seu circulo menstrual e seu periodo fértil (Isso é bom). A cada noite apaixonante de amor, a cada orgasmo ela dizia meu nome e que me amava… Nesse meio tempo tivemos sim nossas brigas, uma quase levou ao fim nosso namoro (tudo que é demais pode ser um sinal de algo errado. Mas se foram apenas algumas, tudo bem, faz parte) ela tem 17 e eu 23, pela diferença de idade ela até que é madura, mas sempre revala um jeito de menina Ladygaganisada kkkk – puts nem sei como escrevi isso…(boa) Me mandava sms quase que todo o dia e a noite quando saia da casa dela a gente ficava horas trocando mensagem… (isso é complicado, depois digo por quê)

Tudo isso ia bem – ou muuuuuito mais que bem – até em um dia ela começou a ficar enjoada, muito enjoada – é também pensei nisso, sinal que a cegonha tá pra chegar – surtei ao saber desse enjoos e mal estar dela que começaram a piorar, comprei o teste de farmacia e deu positivo, disse para ela o quanto que a amava e que iamos passar por isso juntos – o que ela gostou e disse que me amava mais ainda.

A questão é: Ela tah com esse enjoos, porem a menstruação dela ainda não veio, não que ela estivesse atrasada, é que pelos cauculos e de acordo com o ciclo dela isso podera demora pelo ao menos uma semana, e esses enjoos estão fortes a 2 semnas. (já poderiam ter feito o teste novamente para confirmar)

Enfim…

Ela melhorou um pouco desse enjoos, recuperou o apetite sexual e tudo, porém percebi umas mudancinhas, ela parou de me mandar mensagens tipo que toda hora, não me da boa noite… Fiquei acostumado com ela me mimando sempre e isso foi um erro (certamente), pois agora eu penso que ela esta estranha e o pior de tudo é que algo dentro de mim diz que ela tá estranha… Mandei se f**** os principios do MDJC e fui pra cima (assim tu me magoas!); inseguro, paranoico e o mais grave ainda necessitado, quando que quem tá precisando de mim é ela… fize besteira ao brigar com ela por motivos banais e descontar meus demônios pessoais em cima dela… (lá vem o ego atrapalhando nosso controle emocional e mental)

Eu só preciso de uma luz Don e estou desesperado, tenho medo de perde-la, mesmo sabendo que sou o pai do filho dela, por causa desse comportamento que tive e estou pirando, penso que qualquer coisa que ela fala é mentira e cheguei a ir n a casa dela a noite ver se ela tava me traindo… (medo de perder, desconfiança, arrependimento= complicou)

Mais uma vez preciso de seus conselhos, por favor, me da uma força ai… Em forma de artigo ou com uma simles frase no meu e-mail pessoal.. mas peço me dá uma luz ai… pois a pior coisa que pode acontecer é regredir depois de um progresso milagroso que venho tendo só em ler seus post… (as vezes não jogador. São tropeçadas como essa que nos ajudam a caminhar mais rápido depois)

Mais uma vez obrigado Don… pelos seus conselhos”.

LET´S GO!

Veja bem meu jovem…

Todas as orientações que costumo dar partem das minhas experiências e conhecimento (elementar que elas podem ser limitadas em alguns casos).

 

O namoro de vocês me pareceu bem saudável no início.
Devo te confessar que esse lance de trocar mensagens o tempo todo, “pedir para namorar” e demais atitudes fofinhas eu já não faço, principalmente nos primeiros meses de relacionamento.
Por quê?

 

Aprendi com o tempo que as pessoas enjoam fácil das coisas que vêm fácil. Mulheres então, da noite para o dia trocam de parceiro como se trocassem de roupa. Vejo isso o tempo todo, basta retribuir demais antes de hora.
Mas… se funcionou para você, ótimo. Apenas perceba que se tivesse controlado um pouco mais seus sentimentos e desse para ela aos poucos, talvez não estaria nessa situação.

 

Outro ponto: a gravidez

 

Não entendi bem se ficou 100% comprovada. Se ficou, pô rapaz, ela não tomava pílulas pelo menos? =/
Tudo bem, independente das circunstâncias, ter um filho é pura magia.
Quando grávidas (principalmente sem planejar), elas passam um período de “aversão” ao parceiro, como se a situação fosse culpa sua. Pesquise sobre o assunto e confirmará. Talvez seja isso.

 

De qualquer forma, você tem que ser homem rapaz. Pare de choramingar por carinho e atenção!!!
Se começar a colocar mais valor nela do que em si mesmo, ela também não te valorizará.
Errou ao brigar? Deu chilique desnecessário? Aceite o fato e bola pra frente. Mude seu comportamento HOJE, pois nesses casos o passado já era e o futuro é mera consequência do presente.
Agora, se o namoro esfriar cada vez mais, pare e pense nestes pontos:

 

1- ela não corresponde mais às suas expectativas
2- ela deixou de retribuir amorosamente
3- você perdeu a confiança nela
4- vale mesmo a pena ficar nesse relacionamento?

 

Então meu amigo, a resposta será óbvia.
Um Jogador Caro dá a liberdade para as pessoas saírem de sua vida quando elas bem entenderem ou quando já não nos merecem por perto. A partir do momento em que lutamos por alguém, pode considerar uma batalha perdida.

 

Espero que voltem a se entender, e do contrário – independente de terem ou não um filho – bola pra frente que a vida continua.

 

abraço do DON

Seminário “O Jogador Caro” já está pronto!

É isso mesmo senhoras, senhores e senhoritas!

Depois de estabelecer todos os tópicos que seriam abordados, conseguir uma equipe de produção de alto nível, aparelhagem, auditório e tempo na agenda, conseguimos gravar o 1º seminário de seu fiel comparsa DON CONEJO!

Foi 1h e meia de pura evolução.

Lá contei sobre meus primeiros contatos com o jogo, pessoas que me inspiraram, situações inusitadas, desde falhas épicas até momentos incríveis e inesperados.

Levando em conta que o vídeo será exclusivo para a área VIP do fórum www.puabase.com, o tema principal da palestra não poderia deixar de ser outro fora o JOGO.

Jogo da atração para alguns… da sedução para outros… do amor…

Resumindo, a brincadeira que rola entre nós jogadores e elas, as ladies.

Diversas dicas para balada, a importância da ousadia, da paz interior, de ter algo a oferecer, esses foram alguns pontos compartilhados.

O auto-conhecimento teve presença garantida no tema EGO.

Os diversos níveis de entendimento sobre ele e como são essenciais para ter uma vida social e amorosa mais satisfatória.

Quem tiver interesse em assistir um pouco sobre o caminho do Jogador Caro entre em contato para eu orientá-lo como se tornar VIP no puabase.

E para os demais, podem ficar tranquilos, esse foi apenas o 1º de muitos seminários que estão por vir (quem sabe ainda perto de sua casa)!

Abraço do DON!

Convicção nas palavras

 

 

 

 

 

 

 

Já ouviu falar de paixão platônica?


Palavras do Padrinho…


Análise do Jogador Caro: apenas amigos?

“É uma garota que conheço a um bom tempo ela é seria e muito na dela as vezes grosseira até, basicamente ela só se diverte comigo e eu estive na zona de amizade por um mês foi quando percebi que não teria chance nenhuma, neste momento por acaso eu encontrei relatos sobre pick up artist e após ver muitos videos teus e do mysthery pude quebrar o raport (para quem não entendeu, ele quebrou a sintonia, o que pode causar um pouco de atração) mas o máximo que consegui até agora foi um :
Quem sabe um dia dela.
Mas Don eu noto o olhar dela, ela meio que se interessa, o que pode haver de errado? ela nunca namorou apesar de ja ter 18 anos, ela parece ser muito dificil quse impossivel, quando eu a fiz uma massagem arrepiei ela toda, senti medo de tentar beija-la ou beijar seu pescoço, eu errei? (sim)
Como faço pra conquistar uma garota de personalidade tão forte e agressiva?”

E agora, apenas amigos?

Acho que você perdeu uma boa oportunidade de saber a resposta.

Massagem, apertando, alisando as coisas dela… ali era mesmo um pulo para as coisas esquentarem.

Lembre-se que o JC deve sempre ser ousado!

Ousadia é tomar atitude mesmo sem ter certeza do que pode resultar.

O fato dela divertir-se exclusivamente contigo é ótimo, um diferencial.

A forma como te olha também.

Mas não é suficiente.

O que pode ter de errado:

 

a)personalidade difícil

b)nunca namorou

c)talvez não te veja com os olhos da atração

d)ela gosta de dominar

 

Conhece a palavra ESTRATÉGIA?

Em primeiro lugar você está interessado. Esse é o fato principal.

Agora temos que saber até que ponto é o interesse dela, se é apenas na amizade ou no romance.

E os caminhos para chegar no X da questão serão 2: o psicológico e o físico.

 

-Começa a elogiar vez que outra as qualidades dela que te atraem.

-Dê indiretas.

-Tenha o costume de ficar bem perto.

-Dê abraços mais prolongados

-A toque sem vergonha alguma (pegando na mão, no braço, no ombro, na cintura, etc..)

-Mostre sua vontade através do olhar

 

Essas são algumas formas de ganhar mais intimidade e demonstrar aos poucos o seu interesse.

Ficar um pouco ausente também é válido, assim como ter contato com outras garotas e deixá-la saber, já que mulheres adoram certa concorrência.

 

Aí vai notando se ela dá brecha para você ir evoluindo cada vez mais – com atitude – até chegar no beijo.

Contudo, se for o caso dela ser mais dominante mesmo e gostar de tomar iniciativas, proporcione chances para isso acontecer.

(https://omanualdojogadorcaro.wordpress.com/2012/03/14/mulheres-dominantes-como-agir-com-elas/)

Agora é contigo jogador!!!

 

“Melhor ser cortado pela verdade do que ficar sonhando com uma mentira.”

 

Abraço do DON!

 

 

 

 

 


Nova categoria no blog: Parábolas

Simplesmente ADORO contos, parábolas, pois me ajudam a enxergar situações através de outra perspectiva.

E como sei que vários leitores também curtem, a partir de hoje estarei postando este tipo de artigo no MDJC.

O primeiro é sobre o valor que damos àquilo que temos – ou não temos.

Do Círculo dos 99

 

“Reza a lenda que, antigamente, havia um rei que, apesar de tudo que possuía, era muito triste. E este rei tinha um pajem que, apesar de tudo que não possuía, era muito feliz. Este pajem estava sempre rindo e cantarolando, sempre com um sorriso sincero no rosto.

O rei não entendia como ele podia ser tão feliz, então um dia mandou chamá-lo:

– Pajem, qual seu segredo?

– Qual segredo, Alteza?

– Qual o segredo da tua alegria?

– Não existe nenhum segredo, Majestade.

– Não mintas, pajem! Bem sabes que já mandei cortar muitas cabeças por ofensas menores que a tua mentira.

– Mas não estou mentindo. Não guardo nenhum segredo.

– Mas como podes estar sempre feliz?

– Majestade, não tenho razões para estar triste: muito me honra servir a Vossa Alteza, tenho uma esposa e dois filhos lindos, e vivemos na casa que a Corte nos concedeu. Somos vestidos e alimentados… como não estar feliz?

– Estás mentindo! Se não me contar a verdade, mandarei decapitá-lo, pajem! Ninguém pode ser feliz com as razões que me destes.

– Mas Majestade, não há nenhum segredo. Nada estou escondendo.

– Vá embora antes que eu chame os guardas!

O rei não acreditava. Não podia entender como alguém podia ser feliz vivendo em uma casa que não lhe pertencia, vestindo roupas de terceira mão e se alimentando dos restos.

Quando se acalmou, mandou chamar o mais sábio de seus conselheiros e lhe contou a conversa que teve com o pajem.

– Sábio, como ele pode ser feliz?

– Majestade, a verdade é que ele está fora do Círculo dos 99.

– Círculo dos 99?

– Isso mesmo,  Alteza.

– E é isso que o faz feliz?

– Não, Majestade. Isso é o que não o faz infeliz.

– Então estar no círculo nos faz infelizes?

– Exato.

– Mas como ele saiu deste tal Círculo?

– Ele nunca entrou.

– Como assim nunca entrou? Que Círculo é este? Não entendo o que quer me dizer…

– A única maneira para Vossa Alteza entender é mostrando pelos fatos, fazendo com que ele entre no Círculo…

– Isso, então o obrigarei a entrar!

– Não, Alteza. Ninguém é obrigado a entrar… mas se lhe dermos oportunidade, entrará por si mesmo…

– Por si mesmo? Mas não notará que isso irá lhe trazer infelicidade?

– Sim, mas mesmo assim entrará. Não poderá evitar. Vossa Alteza está disposta a perder um excelente pajem para compreender a estrutura do Círculo?

O rei concordou.

– Então nesta noite irei buscar-lhe. Deves preparar uma bolsa com 99 moedas de ouro. Exatas 99, nem uma a mais, nem uma a menos.

– Só isto?

– Sim, só isto Majestade. Nos vemos a noite.


E assim foi. O rei recheou a bolsa com exatas 99 moedas de ouro e o sábio passou para buscar-lhe. Foram até os pátios do palácio e se esconderam atrás de uma árvore próxima a casa do pajem. Na bolsa, o sábio atou um papel com a seguinte mensagem: “Este tesouro é teu. É o prêmio por ser um homem bom. Faça bom uso e não conte pra ninguém que encontrou esta bolsa.”

Então deixou a bolsa com o bilhete e as moedas na porta da casa do pajem. Bateu na porta e correu a esconder-se. O rei e o sábio ficaram escondidos apenas observando o que aconteceria.

O pajem então abriu a porta, pegou a bolsa, olhou para os lados e leu o bilhete. Então sacudiu a bolsa e, ao escutar o som das moedas, estremeceu da cabeça aos pés, apertou a sacola contra o peito e entrou rapidamente em casa.

O rei e o sábio aproximaram-se da janela para presenciar a cena. O pajem havia despejado todas as moedas na mesa, deixando somente a vela para iluminar. Parecia não acreditar no que estava vendo. Era uma montanha de dinheiro. Quantia esta que ele nunca imaginara possuir. Ele as pegava e as acariciava. Juntava e esparramava. Começou a fazer pilhas delas.

Pilhas de 10 moedas. E assim as foi contando. Uma, duas, três, quatro…noventa e oito, noventa e nove. Era a última pilha e esta tinha apenas 9 moedas. Todas as outras 9 pilhas estavam com dez, por qual motivo esta estaria com 9?

Seu olhar percorreu a mesa, procurando a moeda faltante. Não encontrou.

Procurou pelo chão, debaixo da cadeira, por toda a casa. Nada encontrou

– Não pode ser. Me roubaram! Me roubaram!

Procurou novamente, mas não encontrou a tal moeda que faltava…

– 99 não é um número completo. 100 é, mas 99 não. Alguém me roubou, ou eu perdi esta última…

Ele já não parecia mais feliz: estava preocupado. Com a testa enrugada, as sombrancelhas franzidas, os olhos pequenos e o olhar perdido…não podia acreditar que faltava uma moeda.

Colocou as moedas novamente na bolsa, jogou o bilhete na lareira e escondeu a bolsa por entre a lenha. Pegou papel e uma pena e sentou-se na mesa a calcular. Quanto tempo teria que economizar para obter a moeda nº 100?

Estava disposto a trabalhar duro para consegui-la. Depois, quem sabe não poderia mais trabalhar…com 100 moedas de ouro ninguém precisa trabalhar. Finalizou as contas. Se trabalhasse e economizasse seu salário e mais algum extra que recebesse, em 8 ou 9 anos conseguiria comprar sua última moeda de ouro. Mas 9 anos é tempo demais. Pensou que se sua esposa procurasse um emprego no vilarejo, e se ele mesmo trabalhasse a noite, conseguiria a moedinha em cerca de 5 anos.

– Mesmo sendo muito tempo, – falava sozinho – é isso que iremos fazer.

Então o rei e o sábio voltaram ao palácio. O pajem havia entrado no círculo dos 99! Durantes os meses seguintes, o pajem seguiu seu plano para conseguir comprar a tal moeda de ouro.

Certa manhã, entrou nos aposentos do rei com passos fortes, bufando, batendo nas portas…

– O que aconteceu, pajem? Há um tempo atrás você ria e cantava, estava sempre feliz…

– Nada aconteceu, Alteza. Faço ou não o meu trabalho? O que você esperava? Que além de pajem sou obrigado a estar sempre de bom humor?

Não se passou muito tempo o rei mandou o pajem embora, não se sentia bem com um pajem mal humorado todos os dias…

Assim também somos nós. Parece que sempre falta algo para que tudo fique completo. Algo sempre está faltando, e por isso não desfrutamos de nossa vida plenamente…esperamos que tudo se complete.

Mas e se percebêssemos que 99 moedas são nossos 100%? Que nada nos falta? Que não se é mais feliz por ter 100 ou 99 moedas?

Por isto, não fique lamentando o que te falta ou o que poderia ter. Valorize tudo o que tens ao teu redor.”

 

Abraço do DON!

 


Quando não são os outros, é você mesmo que se testa!

Image


Chico Buarque e sua poderosa mensagem

Ninguém gosta de receber críticas negativas, certo?

Aqui no MDJC já postei 2 artigos com temas semelhantes:

https://omanualdojogadorcaro.wordpress.com/2011/12/29/analise-do-j-c-ate-que-ponto-vale-reagir-a-ofensas/

https://omanualdojogadorcaro.wordpress.com/2012/01/05/ate-quando-a-opiniao-alheia-importa/

Quando alguém me critica, dependendo sobre o que for, apenas um pensamento vem em minha mente, “Será que ele está certo?”.

Então dou uma refletida… principalmente se mais de uma pessoa falar a mesma coisa…

Por vezes ela é construtiva e me ajuda a mudar para melhor um comportamento equivocado, opinião ou obra.

Mas se for daquelas mesquinhas, que falam por falar, movidos por algum sentimento egoísta?

DOU RISADA!!

 

Sei lá, pode ser que não tenham me compreendido. Talvez descontaram em mim alguma angustia.

De qualquer forma, é boa oportunidade para exercer o princípio da compaixão e da não-reatividade, agindo assim com sabedoria.

É o que Chico Buarque, a lenda da Música Popular Brasileira, costuma fazer, de acordo com o vídeo que postou na internet.

Acompanhem:

Boa mensagem para nós, Jogadores Caros, começarmos a semana!

 

abraço do DON


Pare de ser “A Vítima”!!

Uma grande verdade é que podemos criar a realidade em que vivemos.

Claro que se o sujeito nasce na Palestina em meio à guerra, essa é uma realidade mais difícil de mudar.

Ou se tratando da classe social em que crescemos. E mesmo assim você pode correr atrás de uma vida melhor, como milhares de pessoas fizeram (ex: Silvio Santos,  Tom Cruise, 50 cent, Michael Jackson, Leonardo DiCaprio, Madonna, bom, a lista é infinita e citei esses porque são famosos, mas certamente você conhece a história de alguém que cresceu financeiramente).

Tudo depende da forma como você vê o mundo.

Mas tem aquele tipo de artista… parece até um mágico que consegue ver sempre o lado ruim do que quer que aconteça… nada vale a pena porqueeeeeeeeee: ele é A VÍTIMA!!!!!!

Continue lendo